Os FATUM com atuações no Reino Unido em janeiro e fevereiro

Durante 9 dias, os FATUM estarão pelo Reino Unido com várias atuações, destacando-se vários encontros com a comunidade madeirense radicada no país. CONTINHOS POPULARES MADEIRENSES e MADEIRA ILUSTRADA, editados pela ACADÉMICA DA MADEIRA, também estarão em destaque nas Ilhas Britânicas.
Elizabeth Tower, originalmente Clock Tower, renomeada em 2012 para marcar o Jubileu de Diamante da rainha Isabel II, em Londres.

No final de janeiro os FATUM rumam às Ilhas Britânicas para um conjunto de atuação que irão combinar a tradição musical portuguesa com algumas obras lançadas pelas editoras da ACADÉMICA DA MADEIRA. Em destaque estarão MADEIRA ILUSTRADA, de Andrew Picken, e CONTINHOS POPULARES MADEIRENSES de Alfredo Vieira de Freitas e Tiago Pinto.

O grupo de fados FATUM foi constituído em janeiro de 2010, há muito ambicionado pela ACADÉMICA DA MADEIRA, na sequência de várias serenatas monumentais desenvolvidas e que levaram ao Funchal fadistas e músicos deste estilo musical de Coimbra e de outras academias portuguesas. A primeira actuação dos FATUM decorreu a 26 de março de 2010, no âmbito do 4.º aniversário da revista da ACADÉMICA DA MADEIRA. A partir dessa data o grupo começou a realizar várias atuações, dentro e fora da Região Autónoma da Madeira.

FATUM fazem sarau em Wokingham

A 31 de janeiro, a ACADÉMICA DA MADEIRA esteve na cidade de Wokingham, cerca de 70 quilómetros a oeste de Londres, onde realizou uma tarde diferente. A digressão dos FATUM ao Reino Unido acontece até 4 de fevereiro.

Ao longo do tempo, diversificou o seu reportório, passando a incluir outros géneros de música tradicional portuguesa, adaptada à forma de interpretação dos estudantes. Deste trabalho resultaram a participação em vários espetáculos de tributo a grandes artistas nacionais, como os madeirenses Max e Edmundo de Bettencourt, António Variações, Zeca Afonso e Amália Rodrigues. No Teatro Municipal de Baltazar Dias, no Funchal, foram um dos grupos que homenageou Carlos do Carmo na última passagem do artista pela Madeira.

Constituem o grupo residente no Colégio dos Jesuítas do Funchal, complexo histórico que acolhe a Reitoria da Universidade da Madeira, realizando saraus de fados a cada quinze dias, um dos programas culturais dinamizados pela ACADÉMICA DA MADEIRA, no quadro do seu programa HERANÇA MADEIRENSE.

Na bagagem contam com três álbuns, Fatum (2014), Fado de Coimbra (2019) e Tributo (2022), com milhares de ouvintes na plataforma Spotify. Em 2024, lançam o seu quarto trabalho, Tributo aos 35 anos da UMa, álbum acústico gravado no Teatro Municipal de Baltazar Dias, no Funchal, a 29 de abril de 2023, no âmbito das comemorações do 35.º aniversário da fundação da Universidade da Madeira.

Grupo integracionista, os FATUM têm sido compostos por vários elementos, entre estudantes e antigos estudantes da Universidade da Madeira, além de jovens sem qualquer ligação a esta instituição de ensino superior. Na sua atual composição, integra dez elementos (cinco guitarras clássicas, três guitarras de Coimbra e duas vozes) dos quais quatro artistas são do sexo feminino, sendo um dos poucos grupos dedicados ao Fado de Coimbra a incluir mulheres na sua composição.

FATUM gravam novo videoclipe em Londres

Durante nove dias, os FATUM estiveram em digressão no Reino Unido. Aproveitando a oportunidade, o grupo utilizou alguns dos cenários icónicos da cidade de Londres para promover a música portuguesa.

CONTINHOS POPULARES MADEIRENSES de Alfredo Vieira de Freitas e Tiago Pinto foi apresentado em dezembro. Trata-se de uma edição de luxo, em capa dura e publicada pela CADMUS,, que perpetua a tradição oral madeirense através da fixação em texto, acompanhada das ilustrações contemporâneas de um dos mais promissores jovens artistas da região. Mais de cinco dezenas de contos populares madeirenses de várias freguesias da Madeira, ilustradas pelo jovem artista madeirense Tiago Pinto, prémio NOVOS TALENTOS FNAC em 2023, com imagens de elementos da mitologia madeirense e personagens-tipo vestidas com trajes tradicionais da nossa terra.

MADEIRA ILUSTRADA, publicada numa edição bilíngue e inédita, é a famosa obra baseada na estadia na Madeira do desenhador e litógrafo britânico Andrew Picken (1815-1845), que procurou a ilha em busca de recuperação para a sua debilitada saúde. Paulo Miguel Rodrigues, investigador e professor, é o autor de um extenso prefácio da obra “de referência incontornável sobre a Madeira do século XIX”.

Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotografia de Jurica Koletić.

DESTAQUES