Educação pelos pares

“Peer education is also a way to empower young people: it offers them the opportunity to participate in activities that affect them and to access the information and services they need to protect their health” (Youth Peer, 2006:14)

“PUMa” é um projeto de educação para a saúde no âmbito da prevenção da toxicodependência que utiliza a metodologia de educação pelos pares, uma metodologia pedagógica na qual se treinam jovens estudantes universitários, para que eles possam informar e educar os seus pares, também eles estudantes. Desde o seu início, em 2008, o PUMa já formou 64 alunos da Universidade da Madeira (UMa) e conta este ano com mais um grupo de jovens dos cursos de gestão, enfermagem e biologia que se encontram em processo de formação.

Não sendo um fenómeno novo, a Educação pelos Pares (EP) surgiu na década de 50 do século passado em diferentes partes do mundo como Europa, Canadá, Estados Unidos da América e Austrália, onde foram realizadas intervenções com o objetivo de divulgar, informar e educar populações jovens difíceis de atingir, transmitindo mensagens relacionadas com a saúde, especialmente na prevenção de HIV-Sida.

Atualmente a EP experimenta uma popularidade crescente em países desenvolvidos (por exemplo, na Austrália) e em países em desenvolvimento (por exemplo, Zâmbia), por ser um meio útil de chegar a populações “ocultas” (McDonald e tal., 2003) fornecendo-lhes informações essenciais e profícuas. Neste sentido é bastante utilizada em programas de promoção da saúde a nível mundial e nacional, nomeadamente de educação sexual, de prevenção de infeções sexualmente transmissíveis, de violência e do uso ou abuso de substâncias psicoativas, entre outras áreas de intervenção (Brito, 2009).

A educação pelos pares é considerada uma estratégia educativa muito vantajosa, eficiente e pouco dispendiosa (UNESCO, 2003), sem descurar o nível de exigência pretendido pelo facto de ser necessário investir muito quer na qualidade da formação dos educadores de pares, como na monitorização e avaliação das intervenções educativas e preventivas realizadas (Druglnfo, 2006).

O consumo de substâncias psicoativas em geral e o consumo de álcool em particular no contexto académico é frequentemente abusivo e por isso constitui uma preocupação de Saúde Pública (Calvário et. al., 1997). Em Portugal surgiu um conjunto de projetos de prevenção de pares no âmbito da prevenção da toxicodependência, da minimização de riscos e redução de danos, sendo o “Antes que te Queimes” aquele que alcançou uma maior notoriedade. Criado pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra em 2007, o “Antes que te Queimes” desenvolve um trabalho preventivo e de sensibilização durante a “latada” junto dos estudantes de Coimbra, baseando a sua atividade no aconselhamento e reflexão sobre os comportamentos de consumo e outros associados ao consumo, nomeadamente o da sexualidade ou o da condução de veículos.
Seguindo um trabalho semelhante, o PUMa conta já com um conjunto de atividades desenvolvidas na Universidade da Madeira, nomeadamente, campanhas de sensibilização sobre o risco do uso e abuso de substâncias psicoativas, criação de um vídeo preventivo, peddy-paper, jogo preventivo à escala humana, fins-de-semana formativos, criação de perfil no facebook, entre outros, resultado da parceria estabelecida em 2008 entre o Serviço de Prevenção de Toxicodependência e a Associação Académica da UMa.

O grupo que faz parte da IV edição do PUMa já está a planear novas atividades que irão decorrer durante o ano letivo 2011-2012.

FICA ATENTO E JUNTA-TE A NÓS.

Teresa Fernandes

Socióloga IA SAUDE, IP-RAM
Serviço de Prevenção de Toxicodependência

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA