Colocados na UMa sobem: mais de 600 estudantes receberam a notícia este fim-de-semana

614 estudantes ficaram colocados na Universidade da Madeira, através da 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA). As matrículas arrancam na segunda-feira, 28 de agosto, de forma remota. Na 47.ª edição do CNA, houve uma redução de 0,7% dos colocados em Portugal, em relação à mesma fase de 2022.

Em 2022 foram colocados 49 806 estudantes através da 1.ª fase do CNA, havendo uma ligeira diminuição para 49 438 novos estudantes no ensino superior público, em 2023. Dos candidatos que se apresentaram a concurso nesta fase, 84% ficaram colocados, com 87% dos admitidos colocados numa das suas três primeiras opções (56% na 1.ª opção, 20% na 2.ª opção e 11% na 3.ª opção), de acordo com a nota da Direção-geral do Ensino Superior (DGES).

Na Universidade da Madeira (UMa), em 2022, 552 estudantes foram admitidos na 1.ª fase do CNA. Das 679 vagas disponibilizadas pela UMa foram colocados 552 candidatos, tendo restado 136 vagas para as próximas fases. Em 2023, 614 estudantes foram colocados, restando 65 vagas para as próximas vagas, caso todos os colocados efetuem a sua matrícula. Dessa forma, o número de vagas sobrantes poderá aumentar, como é habitual, nos casos em que a vaga não seja confirmada através da matrícula. Registou-se, em 2023, 876 candidatos que colocaram a UMa na primeira opção do CNA.

Na 47.ª edição do CNA, houve uma redução de 0,7% dos colocados em Portugal

Em 2022, a UMa teve um resultado inferior nas colocações, quando comparando com 2021. Como noticiado pela ET AL., a taxa de ocupação em 2022 foi de 81,3% (85% em 2021), com menos 83 estudantes colocados (- 13%) em relação a 2022, quando foram admitidos 633 candidatos na 1.ª fase. A DGES divulgou que das 54 363 vagas colocadas a concurso, sobraram 5.212 vagas para a 2.ª fase do concurso, representando uma redução de 1,4% em relação à mesma fase do concurso de 2022.

No CNA de 2023, o curso de Direito registou 446 colocados, sendo o curso com maior número de novos estudantes. Engenharia Aeroespacial, na Universidade do Minho, teve a maior média de entrada, sendo de 18,86 valores a nota do último estudante colocado no curso. Entre os dez cursos com maior média, cinco são da área de Engenharia, três são de Medicina, além de Línguas e Relações Internacionais na Faculdade de Letras da Universidade do Porto e Arquitetura na mesma Academia.

Alojamento estudantil de emergência humanitária

Até 1 de setembro decorre a fase de candidatura ao alojamento na residência estudantil da Universidade da Madeira. O tema da habitação para estudantes durante o curso continua a ser um problema por resolver, sendo amplamente noticiado no período de matrículas do ensino superior. Em julho, o governo decidiu priorizar

De acordo com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), o novo contingente, de vagas prioritárias, duplicou o número de estudantes carenciados que ingressaram no Ensino Superior, o 1.º escalão do abono de família. Nesta fase do CNA, 2.810 estudantes com o escalão A conseguiram uma vaga. Como noticiado pela ET AL. em fevereiro, foi criado um contingente prioritário de estudantes carenciados economicamente, “com 2% de vagas para cada ciclo de estudos (ou 2 vagas) para candidatos beneficiários de escalão A de ação social escolar, alargando a todo o país e quadruplicando o número de vagas das medidas inicialmente previstas apenas para os estudantes integrados em unidades orgânicas de Territórios Educativos de Intervenção Prioritária”.

2810 estudantes com o escalão A conseguiram uma vaga

O ministério referiu que “há um recorde histórico de entradas em cursos de Medicina e um grande aumento dos alunos colocados em cursos de Educação Básica”. No curso de Medicina foram admitidos 1.595 estudantes, o que representa o maior número nos 47 anos do CNA, sendo mais 51 colocados face ao ano passado. A tutela indicou que “haviam ingressado 247 estudantes ao abrigo dos concursos especiais de ingresso em Medicina para licenciados e ainda serão colocados os candidatos dos regimes especiais de acesso ao Ensino Superior (por exemplo: praticantes desportivos de alto rendimento e estudantes de países africanos de língua oficial portuguesa e de Timor Leste), cujos resultados são conhecidos a 14 de setembro”.

Nas licenciaturas em Educação Básica, a tutela indicou um aumento de 21% face ao ano anterior, com 97% das vagas preenchidas. A mesma fonte registou que “nos últimos dois anos as colocações nestas licenciaturas tiveram um acréscimo notável de 45%”.

Sobre os apoios sociais, o ministério de Elvira Fortunato escreveu que “as decisões sobre bolsas de estudo foram antecipadas, este ano, para a fase de colocação. Pela primeira vez, a atribuição de bolsa requerida por estudantes beneficiários de abono de família até ao 3.º escalão será notificada no mesmo dia da divulgação dos resultados da colocação”.

“as decisões sobre bolsas de estudo foram antecipadas”

Do conjunto de alterações que o CNA começou a aplicar, a antecipação dos resultados destaca-se. Agora, há um intervalo de duas semanas entre a data de divulgação dos resultados da 1.ª fase e o início das aulas. Todas as outras fases do CNA terão os resultados publicados em setembro. Dessa forma, refere o ministério, “garante-se o início de atividade letiva praticamente em simultâneo para todos os novos estudantes, evitando a perda de cerca de três semanas de aulas para estudantes colocados na 2. ª fase e cerca de seis semanas de aulas para estudantes colocados na 3.ª fase”.

Nos próximos dias, a ET AL. publicará vários artigos sobre os temas ligados ao CNA como o alojamento, a ação social, a receção dos estudantes, a saúde mental e a empregabilidade. As matrículas começam na segunda-feira, 28 de agosto.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Randy Tarampi.