Procurar
Close this search box.

Universidade da Madeira procurada por 47% dos candidatos do Ensino Superior na região. Matrículas começam no final de agosto

De quase 1500 estudantes candidatos na 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso (CNA) ao Ensino Superior, 680 concorreram à Universidade da Madeira (UMa). Os dados foram avançados por João Costa e Silva do Gabinete de Acesso ao Ensino Superior na Madeira. O número de candidatos ao ensino superior em Portugal diminuiu ligeiramente em 2023, mas ainda continua acima dos níveis pré-pandemia.

Em Portugal, foram 59.364 estudantes que apresentaram a sua candidatura na 1.ª fase do CNA. Apesar do número continuar a representar máximos históricos em relação aos registados antes da pandemia de SARS-CoV-2, houve uma redução quando comparado com os valores de 2022, com 61.473 estudantes a apresentar a sua candidatura nesta fase de acesso.

Na Madeira, João Costa e Silva indicou que concorreram “cerca de 1450 estudantes”, um “número muito idêntico ao do ano passado”, conforme declarou à Antena 1 Madeira, quando foram registados 1446 candidaturas.

Para a Universidade da Madeira, os cursos de Enfermagem, de Gestão, de Educação Física e Desporto, de Engenharia Informática e de Psicologia foram os cinco cursos com mais candidaturas em 1.ª opção, referiu o responsável pelo Gabinete de Acesso ao Ensino Superior na Madeira.

47% dos candidatos do Ensino Superior na região escolheram a UMa

O candidato que fique recolocado na 2.ª fase do CNA não pode optar entre a colocação da primeira ou na segunda fase. João Costa e Silva alertou que “é anulada automaticamente a colocação da 1.ª fase”, sem “hipótese de voltar atrás”.

No dia 27 de agosto os estudantes conhecerão os resultados da 1.ª fase do CNA. Como noticiado pela ET AL., a partir de 2023 o concurso nacional tem um conjunto de alterações em curso que irão ser implementadas ao longo dos próximos anos.

“Neste momento não vai haver redução do contingente”

A possibilidade de redução do atual valor reservado para os candidatos oriundos da Madeira e dos Açores foi afastada pela ministra Elvira Fortunato, em visita ao teleporto de Santa Maria, no arquipélago açoriano. Após vários protestos das regiões autónomas, a governante coloca de lado a opção.

Outra alteração é sobre as matrículas e inscrições que começam mais cedo este ano, a 28 de agosto, e terminam a 30 de agosto. Na UMa, o processo volta a ser remoto, não sendo necessário que o estudante esteja no Campus Universitário da Penteada para realizar a sua matrícula. As aulas terão início na terça-feira, 12 de setembro.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa.

DESTAQUES