Uma realidade até quando?

Mantas Kvedaravičius regressou à Ucrânia em 2022, mais precisamente a Mariupol, onde se encontra o epicentro da guerra, para estar junto das pessoas que conhecera e filmara em 2015. Kvedaravičius pretendia testemunhar, como cineasta, o que estava a acontecer em Mariupol, distante das imagens transmitidas pelos meios de comunicação social e pelos políticos. Mariupolis 2 retrata a vida que prossegue em meio aos bombardeamentos, revelando imagens que transmitem não só tragédia, mas também esperança.

Mariupolis 2 foca no conflito armado no leste da Ucrânia, mostrando como a guerra impactou a vida das pessoas na cidade de Mariupol. O filme apresenta várias histórias pessoais de soldados, civis, refugiados e ativistas que foram afetados pelo conflito, oferecendo um retrato emocionante da realidade vivida por essas pessoas.

Uma revolução de mulheres

Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta e Maria Velho da Costa publicaram Novas Cartas Portuguesas, abordando temas proibidos e censurados durante o Estado Novo, como a Guerra Colonial, o adultério, a violação ou o aborto, durante meados dos anos 70. O que podem as Palavras é a sugestão semanal do

Mantas Kvedaravičius, nascido na Lituânia, é um cineasta que tem um grande interesse pela ausência, o corpo e a materialidade nas suas manifestações performativas e políticas. Possui um doutoramento em antropologia social pela Universidade de Cambridge e era Professor Associado na Universidade de Vilnius. Os seus documentários – Barzakh (2011) e Mariupolis (2016) foram premiados e estrearam nos festivais de cinema de Berlinale, Busan, Hong Kong e Nyon Visions du Réel.

A sessão acontece nos dias 14 e 15 de abril

As imagens são impressionantes e mostram a cidade devastada pela guerra, com prédios destruídos, escombros e marcas de balas nas paredes. Este filme é uma sequência de Mariupolis, também realizado por Mantas Kvedaravičius, e destaca a importância da compaixão e da empatia em tempos de crise.

Mariupolis 2 é a sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e a ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 14 e 15 de abril. O cliente NOS, portador do seu cartão, tem direito a dois bilhetes pelo preço de um. Se for sozinho, além do bilhete, tem a oferta de um menu pequeno de pipocas e bebida. Vamos aproveitar estas vantagens com mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Ligados pelo mesmo mar: e se a mente falasse?

“Uma escritora brasileira que acaba de se mudar para Tóquio dedica-se a escrever um novo romance, instigada por suas experiências no Japão e por uma das últimas cenas que presenciou no Rio de Janeiro: uma nadadora de travessia oceânica rasgando o horizonte com vigorosas braçadas em mar aberto. Essas duas

Convidamos a assistir esta longa metragem com a nossa companhia. Até lá, confira o que lhe contamos no portal do Screenings Funchal e deixe-se ficar com a antevisão.

António Roque
ET AL.
Com fotograma da película de Mantas Kvedaravičius.