Portugal atinge novo recorde em bolsas do Conselho Europeu de Investigação

Quatro investigadores de instituições nacionais vão receber financiamento do Conselho Europeu de Investigação (ERC), no valor de 11,5 milhões de euros, o que representa 2,1% do financiamento total atribuído no âmbito do ERC Advanced Grant 2022, cujos resultados foram anunciados no dia 30 de março.

Portugal alcançou um novo recorde: quatro projetos aprovados num único concurso das Advanced Grants, o que, para a Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, «é motivo de orgulho para o País, em particular para o sistema científico e tecnológico nacional».

Em termos globais, o ERC vai financiar 218 projetos, num total de 544 milhões de euros, dos quais 11,5 milhões de euros vão ser atribuídos a Portugal, nomeadamente a Henrique Veiga Fernandes, da Fundação Champalimaud, Isabel Gordo, do Instituto Gulbenkian de Ciência, Maria Manuel Mota, do Instituto de Medicina Molecular João Lobo Antunes, e Mariana Pinho, da Universidade Nova de Lisboa.

O ERC irá ainda financiar um projeto que está a ser desenvolvido no estrangeiro, por Gonçalo Castelo-Branco, do Instituto Karolinska, na Suécia.

Em concursos anteriores, no âmbito do ERC Advanced Grant, e enquadrados no anterior programa-quadro, o Horizonte 2020, Portugal viu oito projetos serem financiados. Já no atual programa de financiamento da investigação e da inovação da União Europeia, o Horizonte Europa, e em apenas dois concursos, foram selecionados sete projetos liderados por Portugal.

Com este resultado, o País capta 65,6 milhões de euros, distribuídos por 42 projetos, um montante relativo a todas as tipologias dos concursos ERC (Starting, Consolidator, Advanced, Synergy, Proof of Concept), desde o início do Horizonte Europa (2021-2027), e nas áreas das Ciências da Vida, Ciências Exatas e Engenharias, e Ciências Sociais e Humanidades.

125 euros de apoio podem excluir os bolseiros de investigação?

Os trabalhadores independentes e os desempregados estão incluídos no lote dos destinatários do apoio extraordinário de 125 euros. E os bolseiros de investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia? No início da noite de segunda-feira, 5 de setembro, o Primeiro-Ministro António Costa anunciou “as oito medidas adicionais aprovadas

A Ministra Elvira Fortunato congratula também os investigadores cujas candidaturas foram avaliadas como de elevada qualidade, mas não conseguiram financiamento, e relembra que a Fundação para a Ciência e a Tecnologia, através do seu programa ERC-Portugal, procura também reconhecer o mérito destes investigadores através de um apoio específico que permita iniciar o desenvolvimento do projeto de investigação proposto e assim melhorar as condições de uma futura candidatura ao ERC.

O programa ERC-Portugal, está aberto a candidaturas em regime contínuo.

Texto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Com fotografia de Pawel Czerwinski.

DESTAQUES