Onde pertenço?

Onde pertenço?

Este artigo tem mais de 1 ano

Freddie, já com 25 anos, regressa pela primeira vez à Coreia do Sul, a sua terra natal. A jovem mergulha numa aventura em busca das suas origens neste país que não lhe soa familiar, seguindo novos e inesperados rumos.

O filme aborda o tema da adoção internacional, mas vai muito para além disso. Freddie vai à procura das suas origens, desassociando-se constantemente das identidades que lhe são atribuídas.

Regresso a Seul (2022) é um longa baseado na história de vida de Laure Badufle, amiga de Davy Chou, o realizador. A Laure nasceu na Coreia do Sul e, com um ano de idade, foi adotada por franceses. Aos 23 anos regressou pela primeira vez ao seu país natal e viveu lá dois anos, para depois regressar a França.

Uma história da câmara de filma: o poder da imagem

Quais as implicações de sermos expostos a bilhões de imagens todos os dias que competem pela nossa atenção? Esta longa-metragem é um mergulho no vasto oceano histórico da cultura dos médias. “Máquina Fantástica” de Alex Danielson e Maximilien Van Aertryck oferece um estudo emblemático de cinema e da história social.

Esta história decorre ao longo de oito anos. Nas três partes do filme, seguimos Freddie num momento específico da sua vida. Essas sucessivas camadas de existência trazem profundidade à personagem. É notável a resistência em aderir à ideia da reconciliação consigo mesmo como um fim. A questão da identidade e da integração é desconstruída e não segue o esquema ficcional tendencioso de que as personagens acabam em paz consigo mesmas.

Davy Chou, realizador franco-cambojano, dirigiu a sua primeira longa-metragem, Le Sommeil D’or, em 2011, um documentário que narra o nascimento do cinema cambojano na década de 1960. A sua curta-metragem Cambodia 2099, foi selecionada para a Quinzena dos Realizadores, em 2014. A sua segunda longa, Diamond Island, foi apresentada na Semana da Crítica, em 2016, antes de ganhar prémios em vários festivais internacionais.

África contra o Mundo

Pablo, um guerrilheiro latino-americano, e Zumbi, líder negro rebelde, juntam-se para libertar um país africano através de uma revolução violenta contra o mercenário alemão que governa, com a ajuda de um agente americano e um assessor português, em nome da misteriosa Marlene.

Regresso a Seul é a sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e a ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 31 de março e 1 de abril.

O cliente NOS, portador do seu cartão, tem direito a dois bilhetes pelo preço de um. Se for sozinho, além do bilhete, tem a oferta de um menu pequeno de pipocas e bebida. Vamos aproveitar estas vantagens com mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Convidamos-vos a assistir esta longa metragem com a nossa companhia. Até lá, confira o que lhe contamos no portal do Screenings Funchal e deixe-se ficar com a antevisão.

António Roque 
ET AL.
Com fotograma da película de David Chou.