Homem de Luz

“Antes não havia nada, depois fiat lux.” A evocação da luz, que foi a matéria-prima da obra do Homem de Luz durante a sua vida no cinema, leva-o a novas reflexões sobre a sua natureza misteriosa numa peregrinação que entrelaça memórias pessoais com interrogações metafísicas até aos confins do Cosmos. Em Objectos de Luz, viajamos pelas imagens de alguns dos 150 filmes em que Acácio de Almeida imaginou e dirigiu a fotografia e que foram realizados por João César Monteiro, Paulo Rocha, António Reis e Margarida Cordeiro, Raul Ruiz, Rita Azevedo Gomes e Teresa Villaverde, entre outros.”

Onde a única esperança ao fim do túnel é o raio de luz, perguntamo-nos se o que está do outro lado é o que queremos. Começamos a perguntar porque é que esta luz nos dá esperança pois afinal somos filhos da escuridão apenas contornados pela antítese ” O que somos nós em relação à Luz? Qual o elo que nos liga a ela?”.

Objectos de Luz é uma sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e a ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 21 e 22 de Outubro.

Acácio de Almeida nasceu a 29 de Junho de 1938 em Souto, Portugal. É um cinematógrafo e produtor conhecido pelas Sombras dos Abutres (1998), Raiva (2018) e Se eu fosse Ladrão… Roubava (2013). Marie Carré, atriz de nacionalidade Portuguesa, produtora e escritora mais conhecida por Agosto (1988), L’homme imaginé (1990) e Objectos de Luz (2022).

“Revisitar é encontrar espaços, mas que já não são dos filmes”, escuta-se no filme. “Pois, é, somos nós que os vemos. E nos apoderamos deles. E eles de nós.” (Acácio de Almeida, em Objectos de Luz).

Objectos de Luz é uma sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e a ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 21 e 22 de Outubro. O cliente NOS, portador do seu cartão, tem direito a dois bilhetes pelo preço de um. Se for sozinho, além do bilhete, tem a oferta de um menu pequeno de pipocas e bebida. Vamos aproveitar estas vantagens com mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Trabalhar a luz, é como trabalhar os signos da vida. É ser Deus por um dia, ou melhor, por um filme. É questionar a nossa existência. É ceder ao reduzido da nossa insignificância. Um filme que nos vais ajudar na nossa jornada do auto descobrimento.

Questionar quem somos e para onde vamos é sempre melhor na companhia deste filme. Aproveite a chance e confira isto e muito mais no portal do Screenings Funchal e fique com a antevisão.

Alexandre Freitas
ET AL.
Com fotograma da película realizada por Acácio de Almeida.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA