UMa leciona cursos em quatro das áreas de maior empregabilidade em Portugal

UMa leciona cursos em quatro das áreas de maior empregabilidade em Portugal

A menos de um mês do início das candidaturas ao Ensino Superior e com a preocupação dos estudantes sobre a empregabilidade futura, verificamos quais os cursos com maior sucesso no mercado de trabalho.

Entre 22 de julho e 5 de agosto decorrer a primeira fase do Concurso Geral de Acesso ao Ensino Superior. Para o ano letivo de 2024-2025, a Universidade da Madeira (UMa) oferece 675 vagas no regime geral, mantendo o mesmo número do ano anterior.

O curso de Engenharia Informática é o que tem o maior número de vagas na UMa, com 90 lugares. Em contraste, as Engenharias Civil, de Computadores e Eletrónica e Telecomunicações têm apenas 15 vagas cada uma. Em Medicina, permanecem as 38 vagas do ano passado, sendo o curso com a nota de ingresso mais alta na 1.ª fase do contingente geral, com 177,5 valores em 2023.

No âmbito nacional, o concurso de acesso ao Ensino Superior terá 55 166 vagas este ano, um aumento de 158 vagas em relação a 2023.

Pela primeira vez, as vagas para o regime geral, regimes especiais e concursos especiais de acesso ao ensino superior público e privado foram divulgadas simultaneamente. Ao todo, são oferecidas 99 986 vagas em diferentes vias de ingresso. Além das 55 166 vagas do regime geral no ensino superior público, há mais 20 800 vagas nos regimes e concursos especiais, incluindo para maiores de 23 anos, já licenciados e estudantes internacionais. No setor privado, existem mais 24 mil vagas.

Medicina, Enfermagem e várias Engenharias estão entre os cursos com maior empregabilidade, conforme dados do Ministério da Educação. Quarenta e cinco cursos superiores não registraram desempregados.

O Ministério da Educação divulgou no portal Infocursos os dados sobre os cursos do Ensino Superior com maior e menor empregabilidade. Embora nenhuma das informações em questão é relativa à UMa, porém entre os cursos com emprego garantido, destacam-se Medicina, Enfermagem, Engenharia Informática e Educação Básica, todos lecionados na nossa universidade. Segue-se o de Química, que área na UMa tem como mais aproximado o de Bioquímica, e ainda Física, Dança, Música e Terapia da Fala.

Ciência e investimento

Com as chamadas economias emergentes, em Março de 2000, o Conselho Europeu realizou uma reunião extraordinária em Lisboa na qual delineou as metas que assegurariam o crescimento económico da Europa

Estágios de Verão

Uma Aposta Estratégica nos Estudantes do Ensino Superior O Governo Regional da Madeira tem priorizado, ao longo dos sucessivos mandatos, uma

LER MAIS...

Dos 45 cursos com taxa de desemprego zero, oito são na área da Enfermagem. Além disso, 132 cursos superiores apresentam desemprego abaixo de 1%, sendo 107 deles de instituições públicas.

Os dados divulgados baseiam-se no número de diplomados em 2021 e nos registados no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) como desempregados em 2022, representando 3,3% do total de 180 191 estudantes diplomados no ano anterior.  No entanto, pode haver diplomados desempregados que não estão registados no IEFP ou que trabalham em áreas diferentes das suas formações, além de possíveis emigrantes em busca de oportunidades no exterior.

O Gabinete do Ensino Superior do Governo Regional da Madeira informa que o agendamento de candidaturas para a primeira fase só pode ser efetuado antes do dia 15 de julho por estudantes que já reúnam, nesse momento, condições de acesso, nomeadamente provas de ingresso com as classificações mínimas exigidas.

Curso terminado: um sonho ou um pesadelo?

Mensalmente, a ACADÉMICA DA MADEIRA tem um espaço de opinião no ‘JM Madeira’. Em agosto, Ricardo Freitas Bonifácio, um dos responsáveis pela pasta da cultura na ACADÉMICA DA MADEIRA e por outras atividades e programas de apoio aos estudantes da Universidade da Madeira, escreveu sobre a empregabilidade.

Os estudantes cuja candidatura ainda esteja dependente dos resultados dos exames realizados no presente ano terão de aguardar pela divulgação desses mesmos resultados (15 de julho). Só depois poderão fazer o agendamento, sendo certo que as candidaturas para a primeira fase decorrem entre 22 de julho e 5 de agosto, conforme o calendário disponibilizado pela DGES.

Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotografia de Bernd Dittrich.