Dormir, estratégia para o sucesso académico

Dormir não é um prémio nem um castigo, mas uma necessidade biológica fundamental. Os estudantes precisam de 9 horas de sono por noite para manter um grau de alerta vital para os dias de estudo.

O sono é um estado transitório e reversível, que se alterna com a vigília (estado desperto). É um processo ativo envolvendo complexos mecanismos fisiológicos e comportamentais em vários sistemas e regiões do sistema nervoso central, resultando numa sensação de energia física, psíquica e intelectual restabelecida. Durante o sono, o indivíduo passa por cinco fases que se repetem ciclicamente. O número de ciclos depende do tempo do sono, sendo que num jovem é composto por quatro ou cinco ciclos.

O sono desempenha um papel primordial no bem-estar físico, psíquico e social dos indivíduos, contribuindo para o bom funcionamento do organismo com impacto na qualidade de vida e na longevidade. Atividades do mundo moderno, cada vez mais prolongam o estado de alerta de cada pessoa condicionando o tempo e a qualidade do sono, repercutindo-se no estado de sáude, com uma maior tendência a problemas de concentração e memória, estresse, impulsividade, falta de empatia e de senso de humor.

O sono está diretamente ligado ao sucesso académico. Está comprovada a relação entre o sono e a memória, a aprendizagem e a retenção de informação, requisitos essenciais para o desenvolvimento de competências cognitivas.

É recomendavél estudar logo antes do período de sono, já que este promove a aprendizagem de certos tipos de memória percetiva. O armazenamento de memórias que serão retidas e relembradas no dia seguinte, são facilitadas por este processo.

Reconhece-se o papel do sono no fortalecimento da memória, de forma a que se torne clara e resistente a interferências e distrações, solidificando as informações no nosso cérebro, enquanto dormimos.

Num estudo de investigação aos alunos do ensino superior da RAM, realizado pelos estudantes do Curso de Licenciatura em Enfermagem 2012-2016 da Escola Superior de Saúde da UMa, constatou-se que 25% deitavam-se frequentemente tarde, comprometendo assim o número de horas de sono diárias.

Ao iniciarmos mais um ano letivo e com base no que foi exposto, reforçamos que os estudantes precisam de 9 horas de sono por noite para manter o grau de alerta necessário para um dia de estudo, garantindo um bom rendimento escolar.

Revelamos ainda alguns dos mandamentos da Higiene do Sono definidos pela World Association of Sleep Medicine (WASM):
1. Estabelecer um horário de dormir e acordar regular;
2. No hábito de fazer sestas, não exceder os 45 minutos;
3. Evitar a ingestão excessiva de álcool 4 horas antes da hora de dormir, e não fumar.
4. Evitar o consumo de cafeína 6 horas antes da hora de dormir.
5. Evitar comidas pesadas, picantes ou doces, 4 horas antes de dormir preferindo uma refeição pequena e ligeira
6. Fazer exercício regular, mas não imediatamente antes do deitar;
7. Bloquear todo o ruído e eliminar a luminosidade;
8. Reservar o quarto para dormir. Não levar as preocupações diárias para a cama: tentar libertar-se delas antes de ir dormir.
Adote o slogan do Dia Mundial do Sono 2016: “Um bom sono é um sonho realizável”.

Bibliografia
Clegg-Kraynok, M. M., McBean, A. L. e Montgomery-Downs, H. E. (2011). Sleep quality and characteristics of college students who use prescription psychostimulants nonmedically. Sleep Medicine, 12 (6), pp. 598-602.
Cheng, S. H. et al. (2012). A study on the sleep quality of incoming university students. Psychiatry Research, 197 (3), pp. 270-274.
Gomes, A. A., Tavares, J. e de Azevedo, M. H. P. (2009). Padrões de Sono em Estudantes Universitários Portugueses. Acta Médica Portuguesa, 22(5), pp. 545-552.
http://worldsleepday.org/
http://worldsleepday.org/portugal-2016-translated-wsd-materials
http://wasmonline.org/

Ana Jardim, Gilberta Sousa e Otília Freitas
EQUIPA PEV’s

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA