“En lembranza do voso sufrimento (1946-1996)”

Em 1946, Cabeço da Raia, em Chaves, viu-se cercada pela Guardia Civil, o Exército Português, a PIDE e a GNR e atacada a tiros de morteiro. Esta é a memória de pessoas da aldeia, dados pela primeira vez, após 50 anos obrigadas ao silêncio sem falar deste episódio trágico.

A 18 de julho de 1396, o general galego Francisco Franco liderou a sublevação militar chamada Alzamiento Nacional que iniciou a Guerra Civil Espanhola, a qual terminaria com uma ditadura que duraria até 1975, ano da morte do general ditador. Fugidos do regime franquista, vários oponentes atravessaram a fronteira e esconderam-se na aldeia do concelho de Chaves de  Cambedo da Raia.

O Silêncio (1996-2017) de António Loja Neves e José Alves Pereira narra a impressionante história de Cambedo da Raia, quando a povoação foi cercada pela Guardia Civil espanhola, pelo Exército português, pela PIDE e pela GNR, e atacada com tiros de morteiro no dia 21 de dezembro de 1946. Dois guerrilheiros morreram, uma criança foi ferida e foram destruídas habitações, porque ali se haviam refugiado desde a guerra civil alguns galegos. Cambedo da Raia perderá, por mais de um ano, 18 dos seus habitantes, presos no Porto preventivamente, até ao julgamento. Por longo tempo o episódio permaneceu interdito, com os fascismos ibéricos a imporem a sua versão.

Reviver o ballet em Portugal com Marco Martins

O Ballet Gulbenkian, companhia de bailado formada em Portugal a partir da década de 70, define-se não só pelo maravilhoso do ballet e da comunicação corporal dos bailarinos, mas também pela capacidade de encanto ao povo português. O movimento dos corpos dos profissionais de dança e as emoções do público

Os habitantes de Cambedo arrastaram por dezenas de anos a reputação de malfeitores ou de acoitantes de criminosos, labelo que as autoridades lhes colaram. Em dezembro de 1996, numa ação cívica levada a cabo por um conjunto de intelectuais galegos, resgatou-se a memória da solidariedade raiana e com ela a autoestima local. Foi então aposta uma placa no centro da aldeia: “En lembranza do voso sufrimento (1946-1996)”

O Silêncio (1996-2017) de António Loja Neves e José Alves Pereira é a sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e a ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 19 e 20 de abril.

Além das palavras

Emília, uma velha governanta numa casa senhorial no Norte de Portugal, conta com a ajuda de Ana para cuidar do espaço. Quando Emília adoece, Ana abdica de sua vida familiar para cuidar dela, enfrentando novos desafios. Três gerações de mulheres buscam compreender um mundo em transformação, onde o ciclo da

O cliente NOS, portador do seu cartão, tem direito a dois bilhetes pelo preço de um. Se for sozinho, além do bilhete, tem a oferta de um menu pequeno de pipocas e bebida. Vamos aproveitar estas vantagens com mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Convidamos a assistir esta longa metragem com a nossa companhia. Até lá, confira o que lhe contamos no portal do Screenings Funchal.

Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotograma da película de António Loja Neves e José Alves Pereira.