Procurar
Close this search box.

Novo centro de engenharia de tecidos e medicina regenerativa

Primeiro-Ministro destaca importância de investir no conhecimento para produzir bens de maior valor.
Primeiro-Ministro António Costa na inauguração do edifício de Medicina Regenerativa e Engenharia de Tecidos da Universidade do Minho, Guimarães, a 10 janeiro 2024. Fotografia de Estela Silva (Lusa).

O Primeiro-Ministro António Costa presidiu à inauguração das instalações para investigação de Engenharia de Tecidos e Medicina Regenerativa (TERM Res-Hub) da Universidade do Minho, em Guimarães, que está a funcionar desde o verão de 2023.

O laboratório integrará investigação em ciências da saúde e tecnologias de ponta para o desenvolvimento de novas terapias e estratégias de regeneração de tecidos humanos, medicina regenerativa e de precisão, num projeto da Unidade Orgânica de Investigação I3Bs da Universidade do Minho que representa um investimento de 10,8 milhões de euros, financiado por fundos europeus.

António Costa afirmou que este «é mais um marco de um percurso e de uma estratégia que o País tem desenvolvido com sucesso. Felizmente, o País, há uns anos, compreendeu que a base do seu desenvolvimento assentava no conhecimento, que é o que permite desenvolver as qualificações e sustentar a inovação».

«Se queremos ser um País mais competitivo, com empresas que gerem mais e melhor emprego, que consigam aumentar o seu nível de exportações, não podemos concorrer mais com base nos baixos custos e, em particular, nos baixos salários. Temos de ser capazes de competir naquilo que são os bens e serviços de maior valor que podemos produzir», disse, acrescentando que, por isto, «é fundamental investir no conhecimento».

O Primeiro-Ministro foi acompanhado pela Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato.

Texto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
Com fotografia de Estela Silva (Lusa).

DESTAQUES