ACADÉMICA DA MADEIRA vence prémio nacional

O circuito de visitas “HISTORY TELLERS: Funchal Cultura Viva” criado pela ACADÉMICA DA MADEIRA, com a Associação Teatro Bolo do Caco, foi distinguido com o prémio Boas Práticas Associativismo Jovem, na categoria de Associativismo Estudantil, do Instituto Português de Desporto e Juventude, a 30 de abril. Somando ao Prémio Caixa Social, é o segundo galardão recebido pela iniciativa.
O percurso HISTORY TELLERS: Funchal Cultura Viva, com a participação do Teatro Bolo do Caco, integra o programa HERANÇA MADEIRENSE, promovido desde 2016 pela ACADÉMICA DA MADEIRA.

HISTORY TELLERS é um programa premiado e distinguido, em Portugal e no estrangeiro, que funciona desde 2014 e que integra um programa mais vasto de natureza cultural da Académica chamado HERANÇA MADEIRENSE. Atualmente, há cinco percursos distintos HISTORY TELLERS, em várias línguas, e que resultam da investigação realizada na Universidade da Madeira nas áreas das Artes, da História, da Cultura e do Património.

Através de programas de incentivo ao voluntariado juvenil e estudantil criados ou integrados pela ACADÉMICA DA MADEIRA, dezenas de jovens portugueses e de diversos países da União Europeia aprendem sobre o património local e trabalham dia a dia como guias de visitas pelas ruas do Funchal.

Todos os anos, milhares de visitantes testemunham o passado do Funchal através da narrativa que é feita por cada um destes jovens, ao longo de duas horas, passando não só por ruas e logradouros, como também em muitas instituições públicas e privadas que têm acolhido as atividades culturais da ACADÉMICA DA MADEIRA.

O premiado REFÚGIO DE GIBRALTAR chegou aos leitores

A obra vencedora do Prémio Literário da Cidade do Funchal – Edmundo Bettencourt, REFÚGIO DE GIBRALTAR, de Berta Helena, foi lançada na Feira do Livro do Funchal, em março. É a história dos gibraltinos e gibraltinas que chegaram à Madeira em julho de 1940.

As visitas, adquiridas pelo visitante estrangeiro, têm permitido à Académica manter e criar programas e iniciativas em prol da comunidade estudantil madeirense, em particular a universitária, em áreas tão diversas como: visitas educativas, voluntariado jovem, educação e boas práticas ambientais, atividade física e desporto, cidadania ativa ou boas práticas para a saúde física e mental.

Este programa tem também como grandes beneficiários os programas de apoio que a ACADÉMICA DA MADEIRA mantém e que têm permitido que milhares de vales de refeição e material escolar sejam oferecidos a jovens estudantes, ajudando a mitigar algumas das suas despesas diárias.

A outra vertente do programa HISTORY TELLERS, também chamada Contadores de História, é o seu serviço educativo. ACADÉMICA DA MADEIRA recebe, todos os anos letivos, centenas de estudantes de vários anos escolares, incluindo jovens estrangeiros ao abrigo de programas de estudo em mobilidade. Estas visitas educativas, que são gratuitas, estão abertas a todas as crianças e jovens estudantes, bastando que os seus docentes façam pedido prévio de agendamento, devido à grande afluência.

O percurso HISTORY TELLERS Funchal Cultura Viva com a participação do Teatro Bolo do Caco integra o programa HERANÇA MADEIRENSE promovido desde 2016 pela ACADÉMICA DA MADEIRA

Criado em 2020, o circuito “HISTORY TELLERS: Funchal Cultura Viva” é o 5.º percurso de visitas culturais do programa HERANÇA MADEIRENSE, dinamizado pela ACADÉMICA DA MADEIRA a partir do Colégio dos Jesuítas.

Foi inaugurado a 2 de setembro de 2021 e soma a experiência de anos de visitas guiadas e de voluntariado juvenil na área da cultura, por parte da ACADÉMICA DA MADEIRA, com a arte do Teatro de Rua da Associação Teatro Bolo do Caco, ela própria um notável exemplo de associativismo jovem regional, com larga experiência na dinamização de visitas dramatizadas na Região.

Este “trabalho nasce da vontade de descobrir novos públicos, explorando ao mesmo tempo a cultura, história e património do Funchal, criando um produto que dá o dá a conhecer aos seus visitantes através da experiência viva.”, afirmava Xavier Miguel, do Teatro Bolo do Caco, em setembro de 2021.

Um trabalho de 40 e tal anos…

Este Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Representante da República, em nome do Chefe do Estado português, irá entregar as insígnias de comendador da Ordem do Infante D. Henrique ao historiador Rui Carita, atual Provedor do Estudante da UMa. Esta comenda justifica-se num “trabalho de 40

Ambas as associações realizaram outras iniciativas culturais em colaboração, especialmente na área da literatura da Madeira, mas esta visita é a primeira do seu género resultante do trabalho conjunto.

São “trabalhos de recriação histórica que temos vindo a desenvolver no contexto da nossa Associação, influenciados primeiramente pela minha experiência profissional ligada a espetáculos nessa área”, explicou Xavier Miguel, em 2023, aquando da atribuição do prémio Caixa Social a esta visita dramatizada, referindo que havia, então, “um crescente interesse e espaço na região para explorarmos a História de um forma lúdica e dinâmica em vários espaços públicos, museológicos, e até privados”.

A proposta da ACADÉMICA DA MADEIRA ao Teatro Bolo do Caco veio criar uma área de visita dramatizada pelo centro histórico da freguesia da Sé, no coração do Funchal. Conduzida por um guia da Académica, o percurso inclui dez cenas levadas a cabo por jovens atrizes e atores do Teatro Bolo do Caco.

Xavier Miguel do Teatro Bolo do Caco integra a visita Funchal Cultura Viva parte do programa HERANÇA MADEIRENSE da ACADÉMICA DA MADEIRA Fotografia de Luís Gonçalves

Um padre jesuíta, uma freira clarissa, um mercador de açúcar e um corsário francês são algumas das personagens-tipo que narram aos visitantes de eventos ou fenómenos da História da Madeira, usando o Funchal como mapa de uma viagem no tempo, por seis séculos, em cerca de 90 minutos.

Recorde-se que o programa HERANÇA MADEIRENSE, que integra as visitas HISTORY TELLERS, angariou, ao longo dos anos, vários prémios e distinções em Portugal e no estrangeiro. Em 2017, atingiu o primeiro lugar na primeira edição do prémio de voluntariado atribuído pelo Santander Portugal aos melhores projetos solidários dos estudantes do ensino superior português. O Instituto Português do Desporto e Juventude já havia reconhecido a HERANÇA MADEIRENSE com este mesmo prémio de Boas Práticas do Associativismo Estudantil. A nível internacional, a HERANÇA MADEIRENSE foi distinguida pelos seus visitantes com recorrentes menções e com a atribuição do Travelers’ Choice pelo portal internacional Tripadvisor.

Promovido pelo Instituto Português de Desporto e Juventude, o prémio Boas Práticas Associativismo Jovem distingue boas práticas na área do Associativismo Jovem , “com o objetivo de motivar e difundir a atividade cívica e de cidadania dos/as jovens que desenvolvem projetos em associações”.

Programa de Bolsas Huawei

Diogo Nuno Teixeira Freitas, doutorando em Engenharia Informática na Faculdade de Ciências Exatas e da Engenharia da Universidade da Madeira e Vice-Presidente da Mesa da Assembleia-geral da ACADÉMICA DA MADEIRA, foi um dos 50 estudantes premiados no Programa de Bolsas Huawei. O programa recebeu mais de 3 mil candidaturas. Segundo

São entregues cinco prémios por todo o país, um por uma associação de cada região tutelada pelo IPDJ. A estes somam-se menções honrosas “em número e valor pecuniário a definir pelo Conselho Diretivo do IPDJ, de acordo com a dotação financeira anual”, conforme a decisão do júri. As categorias são: “Jovens pela Igualdade”, “Associativismo Juvenil” e “Associativismo Estudantil”. É nesta última categoria que se enquadra a ACADÉMICA DA MADEIRA.

ACADÉMICA DA MADEIRA disputa este prémio anualmente com as associações estudantis sob a tutela da Direção Regional de Lisboa e Vale do Tejo do IPDJ, responsável pelas as das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Em janeiro deste ano, das 231 associações inscritas nesta Direção Regional, metade eram associações estudantis, incluindo as de algumas das maiores universidades e politécnicos de Portugal, e que disputam com a ACADÉMICA DA MADEIRA o prémio Boas Práticas de Associativismo Estudantil atribuído pelo IPDJ.

O percurso HISTORY TELLERS Funchal Cultura Viva com a participação do Teatro Bolo do Caco integra o programa HERANÇA MADEIRENSE promovido desde 2016 pela ACADÉMICA DA MADEIRA

A candidatura ao prémio é relativa a iniciativas que tenham sido realizadas no ano anterior e que tenham beneficiado do apoio do IPDJ. Cada organização deve apresentar o projeto, no seu propósito, quem o desenvolve, qual a sua dimensão e que resultados teve em prol dos estudantes e demais jovens. Os critérios de seriação passam também pela originalidade e pela capacidade de continuação e desenvolvimento do projeto.

Com a distinção do HISTORY TELLERS: Funchal Cultura Viva, em 2024, esta é a 6.ª vez consecutiva que a ACADÉMICA DA MADEIRA vence o prémio.

Os prémios foram anunciados e entregues pelo Presidente do Conselho Diretivo IPDJ, Vítor Pataco, no dia 30 de abril, Dia do Associativismo Jovem, num evento especial designado 50 ANOS A SER JOVEM: 30 de abril de 1974 – criação do Fundo de Apoio aos Organismos Juvenis, associado às comemorações do 50 anos do 25 de Abril.

O evento contou com um espetáculo musical com atuação de Maria Caetano Vilalobos, Batoto Yetu e Capicua e teve lugar no auditório Professor Armando Simões dos Santos, na Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa.

Carlos Diogo Pereira
Com Luís Eduardo Nicolau.
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa.