Procurar
Close this search box.

Emprego e Educação são os temas mais importantes para os estudantes da UMa

O OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL revelou os resultados do INQUÉRITO SOBRE AS PREOCUPAÇÕES DOS ESTUDANTES PERSPETIVANDO AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE MARÇO DE 2024. A divulgação dos resultados continua com a apresentação da classificação de temas: emprego, educação, ambiente, justiça social e igualdade e participação cívica. O “futuro e o emprego” é o tema mais importante para os estudantes inquiridos, com 96,6% das respostas com notas altas para importância deste tema.

Depois de apresentar os resultados sobre a possibilidade de emigrar após o final do seu curso, o OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL da ACADÉMICA DA MADEIRA revelou os dados sobre a classificação dos inquiridos sobre alguns temas.

Os inquiridos classificaram os temas numa escala de 1 a 10, sendo 1 nada importante e 10 muito importante.

“Os estudantes estão preocupados com o seu futuro e com a possibilidade de encontrarem um emprego digno e bem remunerado.” O emprego foi o tema que mereceu maior pontuação dos inquiridos, com 51,8% atribuindo a classificação de muito importante. Uma minoria de 3,4% dos inquiridos foi distribuída pelas classificações baixas (1-5), sendo que 96,6% das respostas atribuíram notas altas para importância deste tema. Somadas as pontuações 8, 9 e 10, nesta opção, 85,1% dos inquiridos considera o Emprego como uma temática fundamental. Dos 869 inquiridos, 2 estudantes classificaram o tema como nada importante.

“Os estudantes estão interessados em que o sistema educativo seja de qualidade e que lhes ofereça as ferramentas necessárias para serem bem sucedidos na vida.” O tema da educação, com destaque para qualidade, recebeu classificação baixa (1-5) de uma larga minoria de 6,3% dos estudantes inquiridos, enquanto a grande maioria, 93,7%, classificou-o como importante (6-10). 78,8% pontuaram esta temática com 8, 9 ou 10. Dos 869 inquiridos, 3 estudantes classificaram o tema como nada importante.

“Os estudantes estão cada vez mais conscientes da importância de proteger o ambiente. Estão preocupados com as alterações climáticas e com os seus impactos na sociedade.” O tema do ambiente, um dos temas mais mediatizados junto da juventude pelos protestos que têm sido notícia nos últimos anos, recebe classificação de importante para 76,9%, descolando da hegemonia que os temas do emprego e da educação receberam. Para 23,1% dos inquiridos, o ambiente e a consciência estudantil sobre esta área são nada ou pouco importantes (1-5). Dos 869 inquiridos, 16 estudantes classificaram o tema como nada importante.

“Os estudantes querem que a sociedade seja mais justa e igualitária. Estão interessados em questões como a igualdade de género, a luta contra a pobreza e a discriminação.” O alcance de uma sociedade seja mais justa e igualitária é considerada importante (6-10) para 84,7% dos estudantes inquiridos, sendo que 15,3% atribuem classificação de nada ou pouco importante (1-5). Dos 869 inquiridos, 15 estudantes classificaram o tema como nada importante.

“Os estudantes querem ter um papel ativo na sociedade. Estão interessados em participar na vida política e cívica e em fazer a diferença”. 79,3% dos estudantes inquiridos atribuem uma classificação importante para participação na vida política e cívica. Em oposição, 20,7% dá classificação de pouco ou nada importante para este tema. Dos 869 inquiridos, 10 estudantes classificaram o tema como nada importante.

Entre os 869 inquiridos, 46 respostas colocaram os cinco temas como pouco importantes (1 ponto), enquanto 1210 respostas indicaram os cinco temas como muito importantes (10 pontos).

Considerando os cinco temas apresentados, a ordem de importância dos estudan-tes é: 1.º Emprego, 2.º Educação, 3.º Justiça social e igualdade, 4.º Participação cívica e 5.º Ambiente.

Inquérito por questionário realizado, entre 5 e 28 de fevereiro de 2024, pelo OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL, uma estrutura de investigação da ACADÉMICA DA MADEIRA, sobre vários aspetos da vida universitária. A amostragem consistiu em 869 estudantes que aceitaram participar no inquérito por questionário, quando inquiridos pelos entrevistadores no Campus Universitário da Penteada.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Hennie Stander.

DESTAQUES