Procurar
Close this search box.

Resultados do INQUÉRITO ANUAL AOS ESTUDANTES DA UMa discutidos na Antena 1

Os resultados do INQUÉRITO ANUAL AOS ESTUDANTES DA UMa, edição de 2022-2023, foram divulgados pela ACADÉMICA DA MADEIRA em março. Ricardo Freitas Bonifácio e Carlos Diogo Pereira estiveram na Hora 10, um programa da Antena 1, conduzido por Marta Cília.
Carlos Diogo Pereira e Ricardo Freitas Bonifácio, Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, em entrevista à Antena 1, em março de 2024.

Ricardo Freitas Bonifácio, Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, destacou que o “inquérito tem uma elevada importância” como “base de fundamentação” “para depois os líderes governamentais e até outros decisões políticos terem na sua tomada de decisão em relação a assuntos assuntos do ensino superior”. O líder estudantil referiu que a estrutura associativa tem “trabalhado cada vez mais” para recolher e analisar dados dos seus estudos.

À semelhança do relatório do ano anterior, o OBSERVATÓRIO pode apurar que os inquiridos neste estudo continuam a indicar as despesas com as propinas, o transporte (público ou privado) e a alimentação são as que mais pesam no seu orçamento.

Emprego e Educação são os temas mais importantes para os estudantes da UMa

O OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL revelou os resultados do INQUÉRITO SOBRE AS PREOCUPAÇÕES DOS ESTUDANTES PERSPETIVANDO AS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS DE MARÇO DE 2024. A divulgação dos resultados continua com a apresentação da classificação de temas: emprego, educação, ambiente, justiça social e igualdade e participação cívica. O “futuro e o emprego”

A área da saúde mental dos estudantes nos dois últimos anos letivos começou a ser acompanhada pela Tutela, primeiro no Ensino Superior e depois na restante escolaridade. Na edição deste ano letivo, o inquérito verificou a mesma tendência do ano passado, indicado-nos que a maioria dos participantes sente necessidade de acompanhamento psicológico, mas, destes, quase metade não procurara ajuda.

No que toca à análise dos resultados sobre assédio ou violência, verificou-se que, percentualmente, o número de indivíduos que declarou ter sido vítima de algum tipo de acossamento desta natureza manteve em relação ao ano anterior, registando-se uma subida de estudantes que indicaram ter sido vítimas de assédio moral de 3,2% (no último estudo) para 6,2%.

Apenas 6,8% dos indivíduos que indicaram ter sido vítimas de algum tipo de assédio ou de violência afirmaram que reportaram a situação, entre as várias opções de resposta disponíveis. 46,6% não reportaram a situação justificando-se no desconhecimento sobre como o fazer ou na vergonha. Igual percentagem não indicou nem indicou se reportou a situação de que foi vítima. 

Carlos Diogo Pereira destacou a dimensão do estudo, referindo que “foi o maior inquérito [presencial] que alguma vez foi realizado na Universidade da Madeira”. “Para que as pessoas tenham noção, a Universidade da Madeira tem perto de 4 mil estudantes e neste inquérito nós reunimos 869 inquéritos válidos, o que significa que para chegarmos a este valor, nós tivemos que fazer quase mil inquéritos. Um em cada quatro estudantes foi inquirido”.

O programa da Antena 1 Madeira pode ser ouvido aqui. Os resultados completos do INQUÉRITO ANUAL AOS ESTUDANTES DA UMa, edição de 2022-2023, podem ser consultados através destes artigos.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa.

DESTAQUES