Procurar
Close this search box.

103 estudantes indicaram que foram vítima de assédio ou de violência na Universidade

Os resultados do INQUÉRITO ANUAL AOS ESTUDANTES DA UMa, edição de 2022-2023, foram divulgados pela ACADÉMICA DA MADEIRA. Os resultados indicam que houve um aumento percentual e quantitativo dos casos de assédio ou de violência na Universidade, entre a população inquirida.

Após indicar que o apoio psicológico parece ser um fator relevante no percurso académico, pois metade dos estudantes inquiridos (50,8%) já sentiu essa mesma necessidade, os resultados do inquérito promovido pelo OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL da ACADÉMICA DA MADEIRA indicam um aumento dos casos de assédio ou de violência na Universidade.

Pela análise dos dados fornecidos pelo gráfico, verifica-se que já ocorreram situações de assédio e de violência na Universidade da Madeira. Em 2022, 14,3% dos estudantes inquiridos indicou que se sentiram acossados de alguma forma na Universidade, correspondendo a 85 estudantes.

Em 2023, dos 715 inquiridos, o valor percentual foi de 14,4%, significando que 103 pessoas, que aceitaram responder a este questionário, indicaram terem sido vítimas de algum tipo de assédio ou de violência na Universidade.

Dos inquiridos em 2023, 44 estudantes indicaram que foram vítimas de assédio moral (19, em 2022), 26 estudantes responderam terem sofrido de violência verbal (29, em 2022), 21 estudantes indicaram que foram vítimas de assédio sexual (27, em 2022), 4 estudantes responderam terem sofrido de violência física (5, em 2022) e 8 estudantes responderam terem sofrido de outro tipo de assédio ou violência (5, em 2022).

As propinas continuam no topo das despesas dos estudantes da UMa

Os resultados do INQUÉRITO ANUAL AOS ESTUDANTES DA UMa, edição de 2022-2023, foram divulgados pela ACADÉMICA DA MADEIRA. Os resultados dos inquiridos indicam que as despesas relacionadas com as propinas continuam a ter destaque no conjunto de gastos dos estudantes universitários.

Inquérito por questionário realizado, na primavera de 2023, pelo OBSERVATÓRIO DA VIDA ESTUDANTIL, uma estrutura de investigação da ACADÉMICA DA MADEIRA, sobre vários aspetos da vida universitária. A amostragem consistiu em 715 estudantes que aceitaram participar no inquérito por questionário, quando inquiridos pelos entrevistadores no Campus Universitário da Penteada.

Carlos Diogo Pereira
e Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Nadine Shaabana.

DESTAQUES