Encontro Regional do Associativismo Juvenil e Estudantil reúne dezenas de jovens no Funchal

Entre 18 e 19 de novembro, numa iniciativa da Secretaria Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional de Juventude, o Encontro Regional do Associativismo Juvenil e Estudantil acontece no Hotel Four Views Baía.

O associativismo juvenil e estudantil está reunido no Funchal para o Encontro Regional do setor.

De acordo com João Rodrigues, Diretor Regional de Juventude, “estão representadas cerca de trinta associações da Madeira e Porto Santo”. O Encontro é um momento de partilha, uma oportunidade para as estruturas apresentarem “os seus projetos, trocar experiências e estabelecer redes de contacto”.

Na sessão de abertura, o momento de encontro foi destacado por João Rodrigues, como o primeiro regional, realizado presencialmente, desde a formação da Direção Regional de Juventude.

“Conhecer e partilhar boas práticas” – João Rodrigues

Jorge Carvalho, Secretário Regional de Educação, Ciência e Tecnologia, participou na sessão de abertura do encontro que apresenta painéis de discussão e preleções sobre o associativismo em Portugal e na Europa.

O governante referiu que a região, para a sua dimensão, tem um conjunto de estruturas juvenis que permite ao governo ter um bom retorno, dada a grande proximidade que tem com os jovens. Em associações juvenis e estudantis, existem 43 estruturas, mais 26 grupos informais, distribuídos pelos 11 concelhos da região, referiu Jorge Carvalho.

Na Madeira, a maior parte das estruturas associativas são de âmbito local, tendo uma atividade próxima das suas comunidades. Esse é, segundo o secretário regional que tutela a pasta da juventude, um fator importante para o impacto do associativismo.

Entre 2020 e 2022, o governo regional duplicou o orçamento da juventude. Em 2020, o orçamento para o setor era cerca de um milhão de euros, sendo superior a dois milhões de euros, em 2022. Jorge Carvalho destacou esse aumento como um indicador da relevância que a juventude tem para o governo regional. Centenas de dirigentes associativos e milhares de jovens estão envolvidos, com uma taxa próxima dos 100% de participação.

“Decide bem, quem conhece bem” – Jorge Carvalho

Marco Santos, Presidente da Direção da Federação Nacional das Associações Juvenis (FNAJ), que representa mais de mil associações jovens de todo o país, referiu que “há mais mulheres membros das associações, mas existem mais homens nos cargos de liderança”.

Como indicadores do setor, o Presidente da Federação referiu que 25% das associações jovens nacionais não têm sede própria. Na área da divulgação, 96% das associações utiliza meios digitais, sendo que apenas 6,6% mantém um sistema tradicional.

“87% das associações jovens trabalha a cultura, o património e o lazer” – Marco Santos

Ricardo Freitas Bonifácio, Presidente da ACADÉMICA DA MADEIRA, participa no encontro. De acordo com o dirigente estudantil, “é uma excelente oportunidade para o movimento associativo regional estabelecer contactos, trocar impressões e discutir políticas do setor”, além de “conhecer e aprender com os oradores e as experiências de outras realidades, nacionais e internacionais”.

“É uma excelente oportunidade para o movimento associativo” – Ricardo Freitas Bonifácio

De acordo com a organização, o programa de atividades do Encontro inclui um debate sobre as “políticas regionais, nacionais e europeias, sobre a inovação e competitividade em contexto de Cowork e FabLabs, os desafios da comunicação digital, assim como, as oportunidades de participação juvenil no contexto europeu”.

Na sessão de abertura, foram três temas apresentados: “Movimento Associativo em Portugal”, “Mobilidade e Participação Juvenil em Contexto Europeu” e “Ano Europeu da Juventude. Políticas Nacionais e Regionais”.

Luís Alves, Diretor da Agência Nacional Erasmus+ Juventude/Desporto, foi outro dos preletores da sessão de abertura.

A garantia “que os programas de mobilidade internacional chegam a todos” é um aspecto fundamental para a Agência Nacional que trata do programa de mobilidade na área da juventude e do desporto em Portugal. Segundo Luís Alves, atualmente “há uma nova aposta europeia nas políticas da área da juventude”.

Existem 260 mil jovens em mobilidade no programa de voluntariado europeu, segundo o diretor da agência. Em termos de financiamento na Europa, foram 14,7 mil milhões de euros em 2021, passando para 27 mil milhões de euros em 2022.

“os programas de mobilidade internacional chegam a todos” – Luís Alves

Portugal tem sido capaz, adiantou Luís Alves, “ano após anos, de aproveitar as iniciativas de mobilidade em todos os 18 distritos e nas duas regiões autónomas”. O programa Erasmus+, apesar de não ser de intervenção social, tem uma forte componente ligada a esse aspecto. Em Portugal, metade dos jovens que o realizam os programas de mobilidade são elegíveis pelo o seu contexto social, referiu o dirigente.

Selene Martinho, Vice-presidente do Conselho Diretivo do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), referiu que já existe enquadramento fiscal para as associações jovens receberem uma consignação de 0,5% do IRS dos contribuintes que indicarem essa intenção na sua declaração de 2023.

Sobre o “ano europeu da juventude, Portugal está no 9.º lugar entre os países que apresentam mais atividades, com mais de três centenas de iniciativas. Há dois anos, eram menos de cem ações”. Ainda assim, a dirigente do IPDJ referiu que o número de participações da Região Autónoma da Madeira pode aumentar.

“Portugal está no 9.º lugar entre os países que apresentam mais atividades” – Selene Martinho

Selene Martinho desafiou a ACADÉMICA DA MADEIRA a divulgar os prémios de investigação jovem para incentivar e promover o mérito na Universidade da Madeira.

A TUMa, Tuna Universitária da Madeira, abriu o painel com uma atuação na sala do Hotel Four Views Baía, local dos trabalhos neste fim de semana.

Como indica a Direção Regional de Juventude, o Encontro possibilitará “adquirir novas competências determinantes para o trabalho” do movimento associativo juvenil e estudantil, “nas múltiplas áreas de atuação” dos seus trabalhos.

Luís Eduardo Nicolau
com Carlos Diogo Pereira
ET AL.
e fotografia de Salvador Freitas.
Artigo atualizado às 21:10 com as declarações da sessão de abertura.
Na imagem, João Rodrigues, Selene Martinho, Jorge Carvalho e Luís Alves.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA