450 anos da fundação do Colégio dos Jesuítas do Funchal

Fundado há 450 anos pelo rei D. Sebastião, o colégio, a igreja e o seu edifício fazem parte integrante do quotidiano madeirense e são o retrato vivo de 4 séculos e meio de anos da História da Região. Assinalando o aniversário, a esposição foi inserida no programa do Dia Nacional dos Bens Culturais da Igreja, sendo uma parceria do Museu de Arte Sacra do Funchal e da Associação Académica da Universidade da Madeira, envolvendo entidades regionais, religiosas, militares e particulares ligadas ao património.

Tendo passado pelo edifício diversas instituições, mas onde o ensino e a edução tiveram sempre um especial papel, a exposição repartiu-se por diversos núcleos, com especial enfoque na História e na vida Companhia de Jesus, no sentido da sua universalidade no ensino, edução, espiritualidade e artes plásticas. Extinta a Companhia, no edifício ainda veio a funcionar uma Aula Militar e, depois, o Seminário Diocesano.

A situação veio a mudar radicalmente com as ocupações militares inglesas dos inícios do século XIX, quando o edifício foi utilizado como aquartelamento militar daquelas forças, utilização que se manteve depois ao longo de mais de 150 anos por forças nacionais. No então Quartel do Colégio passaram a ser formadas e mobilizadas as forças de defesa do império ultramarino português, primeiro para o Estado Português da Índia e, depois, para os quadros de guerra de Angola, Guiné e Moçambique, calculando-se que 20.000 jovens militares madeirenses tenham sido mobilizados até 1974.

Com a passagem do Batalhão para São Martinho, o edifício foi ocupado pela Escola Preparatória João Gonçalves Zarco, tal como depois, das escolas e institutos da Universidade da Madeira e, em 1988, a Reitoria. Com a passagem dos então departamentos da universidade para a Penteada, em 1991, passou o edifício a sede da Reitoria e os pisos térreo e superior da ala virada à Praça do Município, para a instalação da delegação da Universidade Católica.

Com as obras de reabilitação do antigo Pátio dos Estudantes e abertura à antiga Rua do Estudo, hoje Rua dos Ferreiros, o antigo Colégio, de certa forma, passou a funcionar como uma “sala de receção” para as visitas de Estado à Região. Em novembro de 2011, também a Associação Académica da Universidade da Madeira começou o projeto Gaudeamus – Loja Académica – que num curto espaço de tempo se ampliou a uma série de projetos culturais, genericamente denominada por Madeiran Heritage, a partir deste espaço, com uma série de visitas guiadas na parte baixa do Funchal, History Tellers, em várias línguas, lançando mão dos inúmeros estudantes Erasmus da Universidade.

Rui Carita
Professor da UMa

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA