Tal como o tecido, os Napa apresentam grande qualidade no terceiro dia do Summer Opening

Tal como o tecido, os Napa apresentam grande qualidade no terceiro dia do Summer Opening

A banda já tem uma trajetória, mas o nome é fresquinho. Anteriormente conhecidos como "Men On The Couch", os Napa decidiram apresentar-se ao público sob uma nova designação, marcando presença na décima edição do Summer Opening e preservando, no entanto, a sua identidade musical.

O ambiente no festival está cheio para ouvir a boa música dos Napa e para se refrescarem com uma bela cerveja Coral nos diversos bares espalhados pelo Parque de Santa Catarina. O público mostra-se agradado com o festival pela combinação de um grande cartaz com diversas atrações que tornam o evento ainda mais dinâmico e festivo.

Slow J fez magia no dia de encerramento do Summer Opening

João Batista Coelho, mais conhecido como Slow J, nasceu a 21 de setembro de 1992, é um renomado rapper, produtor musical, cantor e compositor português, que pisou mais uma vez o palco do Summer Opening. Como sempre, fez tremer o Parque de Santa Catarina.

Sendo os primeiros artistas do dia e uma banda madeirense, foi visível no palco Moche o grande entusiasmo dos seus conterrâneos, que desfrutaram as músicas dos Napa. O grupo, que nasceu em 2013 na cave da avó de um dos seus integrantes, tem um público fiel.

Os contornos da banda foram-se formando entre a energia dos Arctic Monkeys e dos Red Hot Chilli Peppers, o à vontade dos Beatles e a sensibilidade de Caetano Veloso e Tom Jobim. A fórmula amadora e inocente das primeiras composições da banda, em inglês, cativou a atenção de amigos, família e não só.

Os Napa abriram o segundo fim-de-semana do Summer Opening

Decidiram abandonar o uso do inglês e optaram por cantar na língua materna, além de trocarem o ambiente improvisado da “cave da avó” por um estúdio profissional. Em 2019, gravaram o seu primeiro álbum intitulado como “Senso Comum” nos renomados Black Sheep Studios em Sintra, ainda com o nome de Men On The Couch. As melodias contagiantes e a essência genuína e melancólica do álbum gradualmente tocaram os corações dos apaixonados portugueses. A apresentação esgotada no Sabotage e os subsequentes concertos apenas reforçaram a poderosa emoção transmitida pelas suas músicas.

A ET AL. está a acompanhar os quatro dias do maior Festival de verão na Ilha da Madeira, o Summer Opening. Acompanhados do IT’S OKAY, um dos podcasts da ACADÉMICA DA MADEIRA, estamos em direto do Parque de Santa Catarina com Ricardo Afonso Fernandes e Pedro Miguel Freitas a produzir conteúdo de áudio, de vídeo e de fotografia na maior festa da música do nosso arquipélago.

Tomás Santos de Pontes
ET AL.
Com fotografia de Georgina Abreu.