Os estudantes falaram de empregabilidade

Os estudantes falaram de empregabilidade

No segundo episódio do PEÇO A PALAVRA o painel debateu o futuro profissional dos jovens, com o empresário Márcio Nóbrega e o investigador Celso Nunes. A procura de emprego, as entrevistas de trabalho, a progressão na carreira, o ambiente laboral foram outras temáticas tratadas.
Tiago Alves, do painel do PEÇO A PALAVRA de 22 de junho de 2024, é estudante de Engenharia Informática, integrando a equipa do Observatório da Vida Estudantil e a unidade de Política do Ensino Superior na ACADÉMICA DA MADEIRA.

No primeiro trimestre deste ano, a taxa de desemprego jovem (16-24 anos) situou-se em 23%, segundo dados do Banco de Portugal, representando um aumento de 19,6% em relação ao mesmo período de 2023, conforme a informação foi divulgada pelo jornalista Ricardo Miguel Oliveira no segundo episódio do programa PEÇO A PALAVRA, a 19 de julho.

Mais de 420 estudantes da Universidade da Madeira (UMa) estão prestes a graduar-se, juntando-se aos milhares de estudantes do Ensino Superior que estão a concluir seus cursos. A pergunta que muitos fazem é: “Terminei o curso, e agora?”

Ismael da Gama e Tiago Caldeira Alves, da unidade de Política do Ensino Superior na ACADÉMICA DA MADEIRA e estudantes da UMa, discutiram os temas do emprego e dos graduados com o empresário Márcio Nóbrega e o investigador e professor da UMa Celso Nunes.

Márcio Nóbrega, empresário nas áreas da restauração, hotelaria e turismo, comentou sobre o atual mercado de trabalho pós-pandemia, observando que os jovens “não estão à procura de um trabalho, estão à procura de uma experiência curta” e buscam “o sucesso imediato, quando procuram trabalho […] e não estão acostumados a cumprir regras”.

O professor e investigador da UMa Celso Nunes, que trabalha nas áreas de economia, educação, distribuição de renda e indicadores sociais, enfatizou que o jovem estudante deve ter autoestima, traçar objetivos claros e ser determinado em persegui-los.

O Márcio Nóbrega alertou os jovens para a presença negativa dos chamados pais helicópteros, que ao interferirem na vida dos filhos, os incapacitam para tomar decisões, para se organizar e lidar com hierarquias. Nóbrega relatou que, nas entrevistas de trabalho, frequentemente encontra pais respondendo pelas perguntas dos filhos. “É exagerado! Um dia tive que perguntar quem é que estava a entrevistar, quem vinha trabalhar comigo e a entrevista era para o filho”, referiu o empresário.

Márcio Nóbrega empresário madeirense foi o convidado da emissão de 22 de junho do PEÇO A PALAVRA

Segundo dados do EUROSTAT, no ano passado, o número de pessoas empregadas entre os 20 e 64 anos na Europa atingiu 75% da população, o valor mais alto desde 2009, marcando três anos consecutivos de aumento. Portugal está entre os países com a maior taxa de empregabilidade, situada em 78,2%. Porém, para quem inicia uma carreira, há obstáculos que são colocados no nosso país e que leva os mais muitos a emigrar à procura de melhores condições de trabalho e de vida.

Para Márcio Nóbrega a saída de muitos graduados de Portugal deve-se à “falta de reconhecimento em primeiro lugar”. O empresário destacou ainda que “o fluxo de entrada e saída de trabalhadores das empresas é constante”, explicando que num contexto pós-pandemia, os jovens trabalhadores já “não estão à procura de um trabalho, estão à procura de uma experiência curta”, “vão muito à procura do sucesso imediato, quando vão à procura de trabalho […] e não estão acostumados a cumprir regras”. O empresário não tem dúvida de que é crucial que os jovens estejam preparados para enfrentar desafios no mercado de trabalho para obterem a confiança das empresas.

Celso Nunes sublinha que o “mais importante no início é aprender. Não é ganhar mais ou ter um escritório num edifício bonito, mas onde se pode aprender mais”. O investigador destacou que essa aprendizagem prática muitas vezes não está presente no ensino formal, mas é essencial no meio empresarial e no mercado de trabalho.

Estamos a criar uma ditadura do sucesso?

Depois do final da 1.ª fase dos Exames Nacionais, quando perto de 157 mil estudantes se submeteram às provas que determinam a entrada numa licenciatura de quase metade dos estudantes que se apresentaram a exame, a ansiedade é grande para confirmar se as respostas estão certas até que as notas sejam divulgadas, no próximo dia 15 de julho.

Procura de emprego, entrevistas de trabalho, progressão na carreira, ambiente laboral foram algumas das temáticas tratadas neste novo episódio já disponível em formato podcast nas redes sociais.

PEÇO A PALAVRA é um espaço em que o Ensino Superior, a Ciência e a Tecnologia estão em debate, porque os estudantes pediram a palavra. O seu nome tem origem na intervenção que tornou célebre o jovem líder estudantil em Coimbra Alberto Martins e espoletou a Crise Académica de 69. Trata-se de uma produção da TSF Madeira 100FM com a ACADÉMICA DA MADEIRA, transmitida em direto, quinzenalmente às quartas-feiras, às 16:00, e disponível em podcast, nas principais plataformas do mercado.

Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotografia de Henrique Santos.