Os estágios ERASMUS+ para licenciados

Os estágios ERASMUS+ para licenciados

O programa Erasmus+ apoia a realização de estágios (laborais ou outros) no estrangeiro para estudantes que estejam matriculados em instituições de ensino superior nos níveis de licenciatura, mestrado ou doutoramento. Além destes estudantes os recém‑licenciados também podem beneficiar desta oportunidade.
Dresden, na Alemanha.

Ao realizar estágios no estrangeiro ao abrigo do Erasmus+, o apoio pode estender-se entre 2 e 12 meses. Estudantes (do nível de CTeSP ao de doutoramento), além de recém diplomados podem candidatar-se a realizar um estágio.

À semelhança dos Erasmus+ de estudos, também nos estágios Erasmus+ o bolseiro pode optar por uma mobilidade mista, ou seja, uma estadia física de curta duração no estrangeiro (entre cinco e 30 dias) combinada com um período de trabalho remoto.

Há, este ano, 25 jovens, estudantes ou licenciados pela Universidade da Madeira (UMa), com uma bolsa de estágio, segundo indicado pela Unidade de Projetos e Cooperação (UPC).

The legend of Smok Wawelski

Every nation has its own traditions, and an integral part of these traditions are countless myths and legends. Even though they are considered only partially true they still constitute an

Cláudia Freitas e Pedro Freitas, licenciados em Gestão pela UMa, candidataram-se através da UPC, à realização de estágios em instituições sediadas fora de Portugal. Cláudia vai para Espanha, para Salamanca, e Pedro já se encontra na Hungria, em Budapeste.

Em 2022-2023, Pedro já havia estado a estudar ao abrigo do Erasmus+ e quando soube da existência da modalidade dos estágios para recém licenciados, não pensou duas vezes. ação de Erasmus que, realiza eventos e ajuda os estudantes de Erasmus a terem uma melhor integração. Já tendo realizado um semestre de Erasmus no ano letivo passado, descreve as suas expetativas para este semestre como ” uma descoberta pelos novos aspetos da adaptação”. Entre os desafios que está a enfrentar, indica o alojamento como o maior: ” é estranho estar a viver com dois desconhecidos, pois anteriormente estava a dividir quarto com um amigo. Temos todos personalidades diferentes e quando vais com amigos já conheces minimamente algo deles, mas com dois estranhos não conheces a rotina, costumes nem o nome. Do meu ponto de vista, depois tens o azar de estes serem tímidos ou a sorte de serem um pouco mais extrovertidos”.

Cláudia diz estar “muito feliz e entusiasmada por viver esta experiência”, onde quer “aproveitar para conhecer a cultura, lugares”. A jovem licenciada está a trabalhar numa associação espanhola que organiza eventos para estudantes Erasmus+ em Espanha, e este estágio é uma oportunidade de viver “a interação no trabalho”, ao nível de orgânica de empresa que lhe será útil como gestora no futuro profissional.

Madeiran Botanical Garden

During the last of my last weekends as a volunteer in Madeira, I decided to finally visit the Madeiran Botanical Garden that is located in Funchal. My and my friends

Bruges

“DE MOCHILA ÀS COSTAS” Situada no norte da Bélgica, Bruges foi considerada Capital Europeia da Cultura em 2002, e o seu

LER MAIS...

Também Pedro prevê crescer profissionalmente com o estágio que realiza na Hungria. Tal como a colega, está a trabalhar numa associação dedicada aos estudantes Erasmus+, esta, porém, além de eventos, dedica-se acompanhá-los e ajudá-los à integração naquele país. A lidar com dezenas de jovens, explicou que no âmbito das suas funções tem de conhecer e trabalhar com “bastantes pessoas novas, de diferentes lugares e que, como pude ver até agora, com bastantes histórias diferentes”. A opinião é partilhada por Cláudia que diz que, no âmbito do seu estágio, “como se trata de um trabalho mais próximo dos estudantes de todo mundo”, pode “aproveitar para conviver com culturas diferentes”.

Contatada pela ET AL., Paula Barreto, da UPC, confirmou que além de 101 estudantes e 25 estagiários, no presente ano letivo, 39 profissionais da UMa estão a trabalhar em mobilidade, embora este número possa aumentar, mediante apresentação de novos pedidos. Tal como noutros ciclos de ensino, os docentes do ensino superior podem integrar o programa de mobilidade Erasmus+, no âmbito das suas funções letivas ou, realizando outro tipo de funções, à semelhança do pessoal não docente.

Do Luxemburgo para a Madeira

Stéphanie Loos e Claire Bodry são duas luxemburguesas voluntárias na ACADÉMICA DA MADEIRA. Tal como milhares de outros jovens de toda a União Europeia, escolheram um país estrangeiro para se envolverem numa experiência formativa, uma verdadeira aventura ao abrigo do programa Erasmus+, no quadro do Corpo Europeu de Solidariedade (ESC).

Todas as informações podem ser encontradas na página da Agência Nacional de Erasmus+ Educação e Formação ou contactando a UPC, na reitoria da UMa, no Colégio dos Jesuítas.

Carolina Silva com Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotografia de Melina Kiefer.