30 anos depois do PoSAT-1, Portugal volta às grandes iniciativas espaciais

30 anos depois do PoSAT-1, Portugal volta às grandes iniciativas espaciais

O PoSAT-1 marcou um marco significativo na história espacial de Portugal, pois foi o primeiro satélite do país a entrar em órbita em 25 de setembro de 1993. Um porto espacial, voos suborbitais e construção de satélites. No 30º aniversário do satélite português, a ministra da Ciência apontou para o futuro.

A ambição é clara: tornar Portugal “uma nação espacial até ao final desta década”. Foram estas as palavras da Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, na cerimónia do 30.º aniversário do lançamento do primeiro satélite português, PoSAT-1.

Reforço das capacidades espaciais do arquipélago dos Açores

A Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato assinou a extensão do acordo entre o Governo da República e a Agência Espacial Europeia (ESA, sigla em inglês) permitindo, assim, a permanência da ESA em Santa Maria por mais cinco anos.

Na sua intervenção, no auditório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, em Lisboa, a ministra recordou que em Santa Maria, estão a ser desenvolvidas e reforçadas capacidades que permitam instalar “infraestruturas de acesso ao espaço através de um porto espacial”. No futuro, partirão desta ilha voos suborbitais e serão promovidas tecnologias para a monitorização do tráfego e do lixo espacial.

De volta às grandes iniciativas espaciais

O Governo espera iniciar até ao fim de 2023 os voos suborbitais a partir do Centro Tecnológico e Espacial de Santa Maria, nos Açores. O nosso país, de acordo com Elvira Fortunato, está apostado em criar uma agenda industrial para a conceção, integração e operação de satélites, nomeadamente a operacionalização de 30 satélites em várias constelações para novos serviços de monitorização do território, quer seja terrestre ou marítimo.

Portugal atinge novo recorde de patentes em 2022

O Instituto Europeu de Patentes (IEP) lançou o Índex de Patentes 2022, o qual revela que o número de pedidos de patentes registado no IEP por empresas e inventores portugueses aumentou 7,6% em 2022, dando continuidade ao forte crescimento que se verificou em 2021 (+15,5%). A evolução nos últimos dois anos contrasta com a redução nos pedidos de patentes por países da UE em 2022 (-0,5%).

Em novembro do ano passado, com a contribuição portuguesa de 115 milhões de euros para o orçamento da Agência Espacial Europeia (ESA), a Ministra recordou que esse valor permitirá o reforço e a presença portuguesa “nas grandes iniciativas espaciais na Europa, com retorno industrial de 100%.

Mérito Científico para o “pai do satélite português”

No final da sua alocução, a Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior reconheceu hoje, Fernando Carvalho Rodrigues, com a Medalha de Mérito Científico, no âmbito do 30.º aniversário do lançamento do primeiro satélite português. Fernando Carvalho Rodrigues foi distinguido “pela visão que teve há 30 anos”, que levou ao lançamento do PoSAT-1.

Considerado o pai do primeiro satélite português, o professor catedrático disse que a Medalha de Mérito Científico “homenageia o povo português” e o antigo Ministro da Indústria e Energia, Luís Mira Amaral (1987 – 1995) que “há 30 anos juntou todas as redes”.

O PoSAT-1 marcou um marco significativo na história espacial de Portugal, pois foi o primeiro satélite do país a entrar em órbita em 25 de setembro de 1993. Lançado pelo foguetão Ariane 4, a partir do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, este micro-satélite de 50kg foi o resultado de um esforço conjunto de empresas e universidades portuguesas, com sua construção realizada na Universidade de Surrey, na Inglaterra. Alimentado por energia solar, graças aos quatro painéis solares em sua superfície, o PoSAT-1 expandiu as fronteiras da tecnologia espacial de Portugal. No entanto, desde 2006, o satélite entrou em deriva e perdeu contato com o Centro de Satélites de Sintra, tornando-se uma relíquia silenciosa no cosmos.

Texto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
Com fotografia de NASA.
Nota dos editores: o último parágrafo e a sinopse foram alterados.