31 toneladas de CO₂ emitidas pelo YOU PRINT. Nova ação no Parque Ecológico acontece esta semana

Desde 2017, o programa YOU PRINT, WE PLANT tem apoiado atividades de reflorestação e de educação ambiental no Parque Ecológico do Funchal, com o apoio da Coca-Cola Europacific Partners, para compensar o consumo energético das cópias e impressões. Em 2023, os voluntários regressam no dia 18 de janeiro para mais uma atividade.

De acordo com um inquérito do Eurobarómetro, os cidadãos portugueses são, entre os residentes dos 27 Estados-membros, os que mais apoiam o investimento em energias renováveis.

Dia 18 de janeiro há mais uma atividade de responsabilidade ambiental.

O relatório refere que “mais de oito em cada dez entrevistados concordam que a guerra na Ucrânia torna mais urgente para os Estados-membros da UE investir em energia renovável (47% “concorda totalmente”, 36% “tendem a concordar”). A percentagem que concorda com esta afirmação varia entre 60% na Bulgária, 92% em Malta e 94% em Portugal. Uma parcela menor de entrevistados na UE concorda que a guerra na Ucrânia torna mais urgente para os Estados-membros da UE investir em energia nuclear (23% “concorda totalmente”, 35% “tendem a concordar”)”.

Desde a implementação do sistema YOU PRINT, a ACADÉMICA DA MADEIRA tem monitorizado o consumo de árvores (corresponde ao número de árvores que desapareceram para fazer o papel), o gasto energético (representa a energia utilizada para produzir o papel, e é mostrado como o equivalente de energia consumida por uma lâmpada de 60W) e a emissão de dióxido de carbono (corresponde aos gases de efeito estufa libertados na produção de papel). Os dados do início de janeiro de 2017, acumulados desde 26 de julho de 2017, indicam que foram consumidas 292,6 árvores, 31 toneladas de dióxido de carbono e 252 horas, por utilizador, de uma lâmpada de 60W.

“Acredito que a atividade de reflorestação é um projeto muito sensato e útil. Ao fazer esse projeto fazemos algo pela bela natureza da Madeira e ficamos mais próximos dela.” – Yannic Harsdorf, da Alemanha.

Ricardo Freitas Bonifácio, Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, reforça a importância que a sensibilização tem para o ambiente, destacando que as atividades no terreno são fundamentais para que o impacto seja sentido e possamos atenuar e anular parte da pegada ecológica do nosso consumo. O líder estudantil destaca o compromisso da ACADÉMICA DA MADEIRA na redução das cópias e das impressões através da oferta de de digitalizações, no serviço YOU PRINT, para todos os portadores do CARTÃO ACADÉMICO.

Novamente, há vários jovens europeus, ao abrigo do programa Erasmus+, que integram a ação no Parque Ecológico do Funchal. O programa HERANÇA MADEIRENSE da ACADÉMICA DA MADEIRA tem permitido que os jovens, oriundos de vários países europeus, tenham um impacto significativo no apoio social aos estudantes mais desfavorecidos, além de contribuir para a difusão da cultura madeirense. As ações de reflorestação e de educação ambiental têm outra vertente apoiada, regularmente, pelos participantes do programa.

“A natureza na Madeira é fascinante, por isso participar nas atividades no Parque Ecológico é uma óptima oportunidade para aprender mais sobre ela com os especialistas que lá trabalham!” – Marta Jurczack, da Polónia.

Conforme referido, “a atividade de reflorestação, que acontece no quadro do programa YOU PRINT, WE PLANT, conta com o apoio da Coca-Cola Europacific Partners que tem colaborado com a estratégia de responsabilidade ambiental da ACADÉMICA DA MADEIRA”. As parcerias com o setor privado têm permitido potencializar as ações em prol do ambiente através da tutoria e do financiamento.

Gabriel Thiam é um voluntário da Alemanha e está expectante para a próxima atividade. Para o joven europeu, “a plantação de árvores é realmente uma grande oportunidade para preservar a incrível natureza e as paisagens da ilha da Madeira. Através da iniciativa conseguimos preservar a natureza para as futuras gerações. Principalmente nos dias de hoje é importante pensar no futuro da natureza não só para nós, mas para as próximas gerações”.

“Eu gosto de árvores, florestas e natureza. Mal posso esperar para ver como será o plantio de árvores.” David van der Veen, voluntário dos Países Baixos.

Tal como Gabriel, Hannah Watson chegou da Alemanha para participar na HERANÇA MADEIRENSE, esperando “aprender mais sobre os ecossistemas da Madeira e fortalecer-me como equipa de voluntários”, além de toda a componente social e cultural do projeto. Rebekka Schwarzer, outra voluntária alemã, refere que “as árvores são um fator muito importante do ecossistema. Adoro a natureza da Madeira e ficaria muito feliz em plantar árvores para ajudar a evitar que as alterações climáticas evoluam mais rapidamente”.

Julia Amman e Zoe Deuschmann, da Áustria, esperam que a atividade no Parque Ecológico possa melhorar a flora madeirense e a qualidade de vida na região. Para Julia Ammann, “a ilha é maravilhosa. Todos os tipos de belas plantas crescem aqui. Não devemos apenas destruir as coisas, mas também repará-las. Para mim, esta ilha é um oásis verdejante que precisa ser protegido”. O papel da juventude é destacado por Zoe Deuschmann que pensa ser “importante projetar e ajudar a nossa natureza porque não se trata apenas da natureza, mas também do nosso futuro”.

A ACADÉMICA DA MADEIRA defende um compromisso com a redução, a reutilização e a reciclagem, como afirma o Presidente da Direção.

A educação ambiental e a reflorestação é uma boa atividade, segundo Katarzyna Dykas, da Polónia, “que me dá oportunidades de ajudar o meio ambiente”. Eliana Marques, oriunda o Luxemburgo e lusodescendente, sente “que este projeto é uma iniciativa muito boa e nos permite fazer uma boa ação, pois com o crescimento das mudanças climáticas podemos tentar ajudar o meio ambiente da maneira que pudermos”.

Tendo ingressado no programa há poucas semanas, do Luxemburgo, as jovens Claire Bodry e Stéphanie Loos farão a sua estreia no programa de educação ambiental. “Os participantes não apenas aprendem mais sobre seu ambiente, mas também têm a chance de retribuir à natureza e garantir seu crescimento”, defendeu Claire Bodry. Para Stéphanie Loos, trata-se de preservar um dos traços característicos da ilha, pois “a Madeira é conhecida pela sua biodiversidade e o projeto de plantação de árvores protege e preserva a beleza natural”.

O programa YOU PRINT, WE PLANT tem, há vários anos, atuado na mitigação do impacto ambiental que a atividade do serviço YOU PRINT tem no ambiente. Através desse programa, centenas de jovens contribuem para a redução da pegada ecológica e para boas práticas na área ambiental.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Markus Spiske.
A ação de educação ambiental, promovida pela ACADÉMICA DA MADEIRA, conta com o apoio do programa Erasmus+, através da participação de vários jovens em mobilidade, integrados no programa HERANÇA MADEIRENSE e da Coca-Cola Europacific Partners.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS