Liberdade. Uma ilusão ou realidade?

“Eugénio, Joaquim e João são três jovens que, através de uma rádio clandestina, lutam pela liberdade e planeiam a revolução, invadindo as transmissões das rádios de Fortaleza e atacando a base constitutiva da sociedade burguesa e capitalista com poesia, música e provocações. Quando começam a incomodar os poderosos, as suas vidas passam a correr risco, ao mesmo tempo que surge uma bela e misteriosa ouvinte que deseja unir-se a eles e pode transformar os seus destinos.”

Os irmãos Luiz e Ricardo Pretti, ao lado de Pedro Diogenes, já produziram longas-metragens promissoras e criativas como Estrada para Ythaca (2010) e Os Monstros (2011), todos realizados com a Alumbramento Filmes. Agora, chegam às salas de cinema a apresentar o trabalho Com os Punhos Cerrados, cuja temática dialoga o atual momento político do Brasil.

O futuro do país depende dos jovens de hoje. Para isso, é preciso educá-los, dar-lhes liberdade para crescerem e poder serem melhores. Mas nem tudo o que parece é e os 3 protagonistas vivem numa sociedade capitalista e desumana. Enfrentam-na com poesia, música e outras provocações artísticas de maneira a acordar a população. Querem que ela seja mais livre, expressiva e diversa e não um rebanho com ideias homogéneas.

Os três amigos utilizam as ondas de uma rádio pirata para exigirem a liberdade enquanto orquestram a revolução.

Com os Punhos Cerrados é uma sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e com o apoio da ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 16 e 17 de setembro. O cliente NOS, portador do seu cartão, se acompanhado, tem direito a dois bilhetes pelo preço de um. Se for sozinho, ao comprar o seu bilhete de cinema, tem a oferta de um menu pequeno de pipocas e bebida. Vamos aproveitar estas vantagens com mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Bruno Carmelo, crítico cinematográfico, afirma que o filme “combina a arte combativa e a arte reflexiva, o político e o estético, o olhar ao futuro (a utopia) e o olhar ao passado (a nostalgia)”.

Uma revolução que não vai querer perder. Confira isto e muito mais no portal do Screenings Funchal, e fique-se por uma visão mais realista do que aqui lhe contamos, através da antevisão.

Alexandre Freitas
ET AL.
Com fotograma

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA