Dois conflitos em duas partes do mundo

“Depois do polémico Nova Ordem, de 2020, o mexicano Michel Franco está de volta com este filme com Tim Roth e Charlotte Gainsbourg como protagonistas. Alice e Neil Bennett são o coração de uma família inglesa rica, em férias em Acapulco com os jovens Colin e Alexa, até que uma emergência interrompe a viagem. Quando a ordem familiar é perturbada, surgem tensões inesperadas. Filme da competição oficial no 78.º Festival de Veneza.”

Nas palavras de Helgir Girodo, “a solução de problemas dentro de um ambiente familiar só existe quando seus autores adotarem a iniciativa de unir seus esforços em prol da mesma felicidade”. Um dos muitos desafios de Crepúsculo (2021), de Michel Franco é privilegiar a terapia do luto e a persistência do núcleo familiar, acima da tragédia e da turbulência da vida.

Este drama conta com a participação do britânico Tim Roth, na companhia de Charlotte Gainsbourg, Iazua Larios, Samuel Bottomley e da novata Albertine Kotting McMillan, no elenco.

O filme Crepúsculo é a sugestão do Screenings Funchal, numa parceria com os Cinemas NOS e com o apoio da ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 05 e 06 de agosto. O cliente NOS, portador do seu cartão, se acompanhado, tem 2 bilhetes pelo preço de 1. Se for sozinho, ao comprar 1 bilhete de cinema, tem a oferta de 1 menu pequeno de pipocas e bebida. Não há, portanto, desculpa para não aproveitar mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Uma família rica, com acesso a tudo e mais alguma coisa, disfruta das suas férias relaxantes num resort de luxo em Acapulco, no México. Refugiados no descanso e no pequeno ecrã do telemóvel, desprezando tudo o que está à sua volta e pensando em nada, Neil e Alice e as crianças, Colin e Alexa, vivem um silêncio interior, mas ao mesmo tempo reflexivo.

O desencanto desta família permite ao espetador concluir o seu estado na vida. O vazio com que se depara no início e no fim do drama dá a ideia de um quadro – limpo, valioso, mas ao mesmo tempo silencioso e enigmático. O seu processo de decifração, não é, por conseguinte de fácil reconhecimento. No entanto, o destino posiciona-a num intenso desafio, que vai pô-la em confronto com o verdadeiro significado de viver e de apreciar – a matriarca da família, mãe de Neil e Alice, acaba por falecer.

Neste momento, o laço de união da família é posto em causa. Neil, vendo as suas férias interrompidas, decide fingir ter perdido o passaporte e acaba por ficar no México enquanto Alice dá por terminada a sua prematura estadia. A indiferença de Neil perante a trágica notícia, espoleta uma agudez nas diferenças entre os irmãos, mas essencialmente perturba esse laço de união. A partir desse momento, vemos o (re)nascer de tensões relacionais que irão ter um papel crucial no desenrolar do filme.

Parece-lhe familiar? Então fique a saber mais informações no portal do Screenings Funchal. Não acha suficiente? Veja a antevisão deste filme, um desafio à liberdade de escolha individual e uma violência da independência no desconhecido e de como a sociedade se apodera disso.

Luís Ferro
ET AL.
Com fotografia de Paolo Chiabrando.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA