Uma família à moda de Panah Panahi

“Uma família caótica e terna em viagem por uma paisagem acidentada. Mas para onde vão? No banco de trás, o pai tem uma perna partida, mas está mesmo magoada? A mãe tenta rir mas mal consegue conter as lágrimas. O miúdo não pára de cantar. E todos estão preocupados com o cão doente e irritados uns com os outros. Apenas o misterioso irmão mais velho parece calmo”.

Vygotsky diz-nos que “a criança nasce inserida num meio social, que é a família, e é nela que estabelece as primeiras relações com a linguagem na interação com os outros”. É motor da virtude de uma família. Quando esta se vê desanimada, amedrontada ou malcomportada, significa que o espaço à sua volta não corresponde às suas necessidades.

O enigma envolto na família e nos pensamentos de cada indivíduo desse grupo pode e vai influenciar o crescimento pessoal. Mas o que será que acontece, quando essas particularidades se veem confinadas entre quatro paredes, com destino incerto?

Filho do aclamado Jafar Panahi, Panah Panahi é o grande orador do que acima se “descortina”. Jadde Khaki ou Estrada Fora (2021), surge dos seus esboços escritos para o grande ecrã do Festival de Cannes, e, posteriormente, para as restantes salas de cinema do mundo.

É Estrada Fora uma sugestão do Screenings Funchal, em parceria com os Cinemas NOS e com o apoio da ACADÉMICA DA MADEIRA, para sexta e sábado, 12 e 13 de agosto. O cliente NOS, portador do seu cartão, se acompanhado, tem 2 bilhetes pelo preço de 1. Se for sozinho, ao comprar 1 bilhete de cinema, tem a oferta de 1 menu pequeno de pipocas e bebida. Não há, portanto, desculpa para não aproveitar mais um momento de grande cinema que o Screenings Funchal proporciona.

Um “agridoce road movie familiar com toques de comédia e um fundo de crítica social”, este filme conta a estória de uma família iraniana em viagem pelo seu país para destino misterioso.

“Uma viagem perfeitamente normal, mas, no entanto, com esse pequeno grãozinho de mistério inicial, ou seja, o de vermos quatro personagens humanas e uma canina nos microcosmos de um carro, dito emprestado, a caminho de um local não identificado”.

O filme aborda a fuga de uma família não identificada, onde o público pode rotular esse “vazio” dos nomes e das personalidades que faltam aos personagens. Desta forma, define-se este conjunto de pessoas à nossa maneira, dando-lhes uma alternativa ou solução aos problemas e fragmentações que a fuga do país de origem deixa no ser humano. É uma reflexão sobre os iranianos que se vêm obrigados a abondar clandestinamente a sua terra natal.

No entanto fica a questão – Para onde vão? O que os espera? Como ficam quando alcançam outro estilo de vida? Se a antevisão do filme não o esclarecer o suficiente, então não vai querer perder mais informações no portal do Screenings Funchal.

Adquira o seu bilhete e acompanhe esta família numa viagem caótica e terna, sem destino ou paragem predestinadas.

Luís Ferro
ET AL.
Com imagem de um fotograma da película realizada por Panah Panahi.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA