Uma experiência Erasmus+ atípica

Maribor, a segunda maior cidade da Eslovénia, foi a cidade onde realizei a minha experiência Erasmus+, na qual permaneci por cerca de 5 meses. É verdade que não tive muitas escolhas, pois a Universidade de Maribor oferecia maior facilidade nas equivalências, quando comparada a outras universidades, mas sinto ter sido a escolha mais adequada.

Cheguei à cidade na segunda quinzena de Fevereiro, quando a situação pandémica começou a piorar em toda a Europa. Além do mais, era no norte de Itália que o número de casos de Covid-19 era mais elevado. Como essa é uma região que faz fronteira com a Eslovénia, vários colegas começaram a procurar soluções para regressar aos seus países de origem e muitos deles cancelaram a sua experiência Erasmus+ em menos de um mês.

Cheguei a marcar o regresso a Portugal, mas poucos dias depois vi a minha viagem cancelada, pelo que decidi permanecer lá até ao final do semestre. Nos primeiros três meses, estive fechado na residência. Apenas saía para ir ao supermercado ou à farmácia. Ao longo do semestre, tive aulas e exames por videoconferência.

Após esses três longos meses, a Eslovénia foi o primeiro país da Europa a declarar o fim da epidemia de coronavírus, começando muitas actividades a regressar à normalidade e, consequentemente, poderia explorar um pouco a Europa. Foi isso que fiz, viajando pela Eslovénia de norte a sul, além de estar na Croácia, na Áustria e ainda na Alemanha.

O número de estudantes portugueses a efectuarem Erasmus+ tenha caído em mais de 70%, neste semestre, como se anunciava em Outubro. O Conselho Europeu, porém, anunciou aumentar o valor das bolsas neste programa em 55%.

Recomendo, vivamente, caso tenhas a oportunidade de realizar Erasmus+, que o faças, porque irás aprender novas competências a nível pessoal, bem como a nível académico.

Alex Faria
Aluno da UMa

Projecto co-financiado por ERASMUS +.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA