A importância dos instrumentos tradicionais

“A Região Autónoma da Madeira é uma das regiões com maior diversidade musical e cultural, onde as tradições ainda se mantêm vivas…’’

A história de um país escreve-se não só sobre as suas conquistas, mas também sobre a sua arte, pois, como disse Simone de Beauvoir, é na arte que o homem se ultrapassa definitivamente.

Através de pinturas rupestres, que retratam pessoas a dançar e a produzir sons vocais, é que é possível verificar-se a existência, na história, de formas de arte desde cedo. Inicialmente o ser humano procurava imitar e reproduzir os sons da natureza, mas a partir do momento em que começou a ter consciência de si mesmo, a música passou a ter uma correspondência directa com o universo, adquirindo assim grande importância espiritual, completando a sua essência e alma.

Com o passar do tempo a música e os instrumentos musicais desenvolveram-se de formas distintas em diferentes regiões, dando assim origem a uma diversidade cultural e musical esplêndida. Desta forma apareceram os chamados ‘’instrumentos tradicionais’’ que representam não só estilos musicais característicos, como diversas culturas.

Cada vez mais os instrumentos tradicionais são desvalorizados e até mesmo esquecidos. Porque razão isto acontece? Talvez por estarem relacionados com tradições de outros tempos, por não se passar o interesse por estes às gerações mais novas, ou até mesmo por não terem uma sonoridade comum presente na industria da música. Mas será esta individualidade e características algo imperfeito?

A Região Autónoma da Madeira é uma das regiões com maior diversidade musical e cultural, onde as tradições ainda se mantêm vivas, devido aos músicos e professores que tentam passar estas tradições aos mais novos. Com este empenho colectivo os instrumentos tradicionais como os cordofones (viola de arame, braguinha e rajão) já são ensinados em escolas por toda a região e cada vez mais com a ajuda da investigação da Associação Musical e Cultural Xarabanda entre outras, se descobre e se faz história.

Os instrumentos tradicionais madeirenses são utilizados também por grupos de música tradicional madeirense como o Xarabanda, Banda de Além entre outras, mas ainda dão-lhe uso bandas com géneros de música mais alternativa como os Emperium.

Um instrumento musical não é feito com o propósito de tocar apenas um género de música, a experimentação deste dá asas à imaginação de quem o toca, podendo, desta forma, interpretar qualquer estilo musical desde o clássico ao pop e ao rock.

Os instrumentos tradicionais, servem assim de união entre as gerações passadas e futuras, dando características únicas à região onde foram feitos, porque são nada mais que pedaços vivos de história, que podem juntar pessoas de todas as idades. É preciso continuar a valorizar e a inovar os instrumentos tradicionais, porque só depende de nós a decisão de fazer ou não história.

Ester Caldeira
Estudante da UMa

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA