Da Madeira para Alemanha

Lembro-me de ser frequente perguntarem-me porquê é que uma rapariga do continente tinha ido para a ilha estudar, quando normalmente, o percurso era feito no sentido contrário!

Turistas e os próprios habitantes apelidam carinhosamente a Ilha da Madeira como cantinho do céu ou o paraíso.

Eu fui uma felizarda e tive a oportunidade de, em 4 anos de vida académica, conhecer e admirar esta bela ilha e as suas gentes. O meu nome é Armanda Maia e sou natural da cidade do Porto, bem do outro lado do mar. Em 2008, ingressei na Universidade da Madeira, no curso de Enfermagem, e, acreditem, a minha vida nunca mais foi a mesma. Sim, parece um exagero, mas na realidade para mim significou isso mesmo. O crescimento pessoal e profissional que senti ao longo desse percurso na Universidade da Madeira, abriram-me horizontes e fizeram-me perceber que confinar-nos ao nosso pequeno espaço, à nossa casa, à nossa vizinhança, nem sempre é a opção mais rentável por mais segurança que isso nos dê. Por vezes, sairmos do conforto e conhecermos outras culturas, outras pessoas, outras formas de ensino, enriquece-nos de tal maneira que nos faz querer não ficar por ali. Pelo menos, a mim fez!

Tive, ao longo desses 4 anos, o que eu considero um bom ensino ao nível de Enfermagem. Tive também a oportunidade de participar de várias formas na vida académica e nas atividades desenvolvidas pela Academia, fui entrando não só na vida académica como na vida de muitos daqueles que me acompanharam. E daí trago comigo muitos amigos para a vida! Lembro-me também de não saber bem porquê. Hoje sei-o bem. Aprendi que as posições geográficas não fazem as instituições académicas. Aprendi que as pessoas que estão nessas instituições fazem certamente a diferença para o seu bom nome.

Hoje, enquanto escrevo, encontro-me em Frankfurt e é com nostalgia que escrevo este texto. Sou mais um daqueles que, por muita vontade própria e uma considerável quantidade de obrigação, se viram forçados a emigrar para conseguirem alguma realização pessoal e profissional. Toda a experiência da Universidade da Madeira me é útil aqui, não só nas coisas banais do dia a dia (como por exemplo, lidar com a saudade), mas também a nível da formação académica. Olhando o passando, considero que foi uma excelente opção o ingresso na Universidade da Madeira e que voltaria a repetir… O mais engraçado, e voltando às questões geográficas, é que os alemães muitas vezes conhecem muito melhor a Ilha da Madeira do que a cidade do Porto… é só curioso! Um obrigada a todos aqueles que me fizeram crescer durante este percurso, e àqueles que eventualmente só leram este texto até ao fim e nada tiveram haver… Madeira, espero reencontrar-te em breve!

Armanda Maia
ALUMNI

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA