O pão

A história do pão demonstra as suas raízes milenares e o papel essencial que sempre teve na nossa identidade gastronómica e alimentação.

É uma excelente fonte de energia, essencialmente constituída por hidratos de carbono complexos e proteínas de origem vegetal. É ainda, um bom fornecedor de vitaminas do complexo B, minerais e fibras alimentares.

Do ponto de vista energético, os pães brancos, escuros ou integrais fornecem aproximadamente 250kcal por 100gramas, exceto o de milho que fornece cerca de 220kcal. No entanto, há que ter em atenção de que existem certos tipos mais energéticos, devido à adição de açúcares e gorduras, como é o caso do pão de leite e, sobretudo, de alguns novos tipos de pão de forma de longa duração.

A nível nutricional, a sua riqueza é influenciada pelo grau de refinação que os cereais que o constituem sofreram. Quanto mais refinados, mais empobrecidos em nutrientes. Assim, o pão escuro é mais nutritivo que o pão branco.

Para além disso, é importante escolher um pão bem cozido e com pouco sal.

Recomenda-se uma ingestão diária de pão, em todas as idades, quer seja simples ou transformado em açordas ou outros pratos saborosos de considerável valor nutritivo. O consumo deste alimento deve ser preferido a outros alimentos altamente refinados e açucarados, como acontece com muitos jovens que o substituem por outros, como bolos e pastéis.

Ao contrário do que se pensa, o pão não engorda, nem é responsável por certos desequilíbrios alimentares. Se for consumido em quantidade determinada pelo tamanho do corpo e pela atividade física que se desenvolve, não emagrece nem faz engordar.

Bruno Sousa
Nutricionista

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA