Lobo marinho da Madeira

“A utilização dos Lobos Marinhos, vivos e de sua cor, simboliza a homenagem da Região aos únicos grandes mamíferos encontrados quando da chegada dos primeiros povoadores. Esta homenagem integra-se no esforço geral desenvolvido para a preservação ecológica.” É assim que se explica a representação dos lobos-marinhos no brasão de armas da Região Autónoma da Madeira, o que ilustra não só o orgulho da presença desta espécie na região, mas também o reconhecimento do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido para a sua conservação.

Esta espécie autóctone é a foca mais rara do mundo e em Portugal, existe unicamente no arquipélago da Madeira onde a população está em recuperação, ao contrário do acontece com a população mundial que não ascende aos 500 indivíduos, distribuídos pela bacia do Mar mediterrâneo e no Atlântico, no arquipélago da Madeira e no litoral do Sahara Ocidental.

Foi em 1988, quando não existiam mais do que 8 lobos-marinhos confinados às Ilhas Desertas para onde fugiram depois de terem sido perseguidos pelo Homem, que o Serviço do Parque Natural da Madeira (SPNM) iniciou um Programa para a Conservação do Lobo marinho. Dois anos depois, em 1990, foi então criada a Área de Protecção Especial das Ilhas Desertas (passando a Reserva Natural em 1995), protegendo assim o principal habitat do Lobo marinho.

Desde então a estratégia para a protecção do Lobo-marinho baseia-se na protecção do Lobo-marinho e do seu habitat, na monitorização e estudo da espécie considerando que é necessário conhecer para proteger, e na educação ambiental considerando que a conservação da natureza deve envolver as pessoas.

E os resultados são positivos! Hoje em dia são 30 a 40 lobos-marinhos que se distribuem não só pelas Ilhas Desertas mas também pela ilha da Madeira, onde regressaram depois de terem praticamente desaparecido.

São inúmeros os registos de observações de lobos-marinhos feitos na Madeira. E actualmente qualquer pessoa poderá vir a observar um enigmático animal destes. E os registos destas observações são extremamente importantes, pois é através da reunião desta informação que o SPNM vai realizando a monitorização do Lobo-marinho na Madeira e consequentemente adquirindo conhecimentos para definir as melhores estratégias para a sua conservação na região.

Agora, que temos os lobos-marinhos de regresso a casa, é preciso aprender a respeitar e a coexistir com estes animais que afinal tanto dignificam a região.

Se observar um lobo-marinho informe o Serviço do Parque Natural da Madeira através de rosapires.sra@gov-madeira.pt.

Serviço do Parque Natural da Madeira

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA