A TUMa organiza o ETUMa no início de dezembro

Entre 8 e 9 de dezembro, a TUMa organiza o XXVIII ETUMa - Festival de Tunas Universitárias da Madeira. Além da competição principal, está programada uma Noite de Serenatas no Colégio dos Jesuítas do Funchal.
Tuna Universitária da Madeira, vencedora do prémio de "Tuna Mais Tuna", da XXII Edição do Festival Internacional de Tunas nos Açores, em março de 2023, com fotografia de Hugo Moreira.

Com quase 30 anos de existência, a Tuna Universitária da Madeira (TUMa), organiza o XXVIII ETUMa que além de várias tunas de visita pela primeira vez à Região, faz uma estreia, uma Noite de Serenatas, como explicou, João Ribeiro, o relações públicas.

Conta-nos um pouco da história do Festival ETUMa.

É assim, como como referiste, é a 28.ª edição do ETUMa. O ETUMa é o festival mais antigo, a nível nacional, organizado sem nenhuma interrupção por uma tuna e sempre foi um evento com uma grande afluência do público. E, pronto, acho que é um festival que todos os anos marca pela diferença aqui na Região Autónoma da Madeira, sem dúvida alguma.

Começou como um Encontro de Tunas, certo?

Exatamente, começou com um Encontro. A partir do 25.º aniversário passou a ser considerado um Festival.

Por que razão mudaram para este formato?

Um Encontro distingue-se de um Festival pelo facto de não haver prémios, não há entrega de prémios. E, claro, que a partir do momento em que há entrega de prémios torna-se muito mais interessante para as tunas que vêm à Madeira.

O festival também é um pouco maior e nós queríamos mudar um pouco o conceito que, no fundo, foi tornar o nosso Encontro num evento de maior e mais interessante às tunas que vêm à Madeira.

Nesta edição, vocês escolheram um tema.

Regra geral, pelo menos nos últimos anos, nós não adotámos nenhuma temática em volta do festival.

Este ano, uma vez mais, quisemos marcar pela diferença. Fazer algo diferente para também tornar um pouco mais apelativo à população em geral. Então, decidimos por um tema que é o México. Portanto, toda a temática, toda a atmosfera em volta deste festival irá remeter para para o México. Teremos, por exemplo, como um grupo convidado, os Mariachi. Também a própria sala de espetáculos irá estar decorada nesse sentido. E temos algumas surpresas que, por enquanto, não vou revelar, mas sempre em torno desta temática.

No programa que vocês têm estado a divulgar, o festival tem dois grandes eventos, que é a competição, no Centro de Congressos, e uma Noite de Serenatas, no Colégio dos Jesuítas. É a primeira vez que fazem uma Noite de Serenatas?

Que tenha conhecimento, é a primeira vez que organizamos uma Noite de Serenatas.
No dia 8 de dezembro, que é uma sexta-feira, nós temos a realização do nosso Festival, o espetáculo principal, no Centro de Congressos [do Casino ] da Madeira. Irá iniciar-se às 20.00. E depois, pela primeira vez, no sábado, dia 9 de dezembro, que, por acaso era, o dia em que costumava ser o festival, o dia principal, nós vamos ter, na Reitoria, a Noite de Serenatas.

No interior da Reitoria?

Sim, no jardim. No Pátio dos Estudantes.

Em relação às tunas em disputa. Quem é que nós temos este ano?

Este ano nós temos quatro tunas a concurso. Algumas delas nunca vieram à Madeira. Se não estou em erro, apenas uma delas é que veio e, mesmo assim, já tem alguns anos.

A concurso nós vamos ter a TDUP, que é a Tuna do Distrito Universitário do Porto; a Tuna TS, que é a Tuna de Tecnologia da Saúde do Porto; a Copituna D’Oppidana, a Tuna Académica da Guarda; e por fim, mas não menos importante, a TransmonTuna, a Tuna Universitária de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Qual é o critério que vocês têm para receber as tunas? Vocês fazem um convite geral?

Sim. Todos os anos nós tentamos primar pela qualidade musical e nós costumamos ter em atenção o trabalho que é feito por cada uma das tunas, ao longo do ano. Aquelas nós acharmos que realmente têm a capacidade de trazer algo diferente […], primar pela criatividade e, acima de tudo, surpreender a população madeirense, que é o nosso público-alvo neste caso, nós tomamos a iniciativa de convidá-las a virem cá, à Madeira.

Nós enviamos convites para várias tunas. Regra geral, é um número reduzido. Numa numa primeira fase, por exemplo este ano, nós enviámos para cerca de quatro a cinco tunas, se não estou em erro. Com base nas respostas que vamos recebendo, vemos se há necessidade de fazer mais fases.

Depois, é por ordem de receção da resposta. As quatro tunas a responder primeiro ao convite, de forma afirmativa, são aquelas que vêm à Madeira. Mas sempre tendo em consideração de que é um número reduzido de tunas que são convidadas.

Na edição deste ano, a Noite de Serenatas é gratuita, mas a competição no Centro de Congressos tem entrada comprada.

Exato. De momento, nós ainda não temos os bilhetes disponíveis, mas serão muito, muito em breve.

Como foi referido, o festival tem entrada com bilhete. Para a população em geral são 10€. Para crianças com idades até 12 anos e para estudantes da UMa será 5€.

Onde é que se podem comprar os bilhetes, uma vez que eles estejam disponíveis?

Nós temos alguns postos de compra. Teremos, como sempre, a bilheteira do Centro de Congressos, no próprio dia do Festival. Poderão comprar mesmo à entrada.

E também temos alguns postos habituais, como a sapataria Porto, no Funchal, o Musa Lougde Bar ao pé do [Hotel] Savoy, e também temos o quiosque do Caniço. E, como é óbvio, também os próprios elementos da TUMa vão ter sempre um bloquinho de bilhetes. Portanto, é só chegar ao pé de um de nós e pedir para comprar.

Os lugares são reservados?

Não.

Para além dos dois eventos principais, haverão outros que possamos esperar?

Para o ano fazemos 30 anos desde a formação do nosso grupo e estamos a preparar algumas surpresas, sem dúvida alguma, para celebrar a essa data. Estamos à espera de fazer algo engraçado, mas de momento não posso revelar mais. É surpresa. Mas podem esperar que irá haver alguma coisa.

No dia 8 de dezembro, às 20.00, começa o Festival, no Centro de Congressos do Casino da Madeira. Além das tunas a concurso, o espetáculo contará ainda com Mariachi México Madeira, Compadre Jodé e a Tuna d’Elas – Tuna Feminina da Universidade da Madeira, como artistas convidados. A entrada é 10€ para o público, e metade do preço para crianças até aos 12 anos e para estudantes da UMa.

No dia 8 de dezembro, a partir das 20.00, o Pátio dos Estudantes do Colégio dos Jesuítas do Funchal, será palco para a Noite de Serenatas, com entrada livre.

Para mais informações, a TUMa pode ser contactada através do endereço eletrónico tumamadeira@gmail.com.

Entrevista conduzida por Carlos Diogo Pereira.
ET AL.

DESTAQUES