Ponte de esparguete

“O preço da perfeição é a prática constante.”

A ponte de esparguete foi uma ideia para parte de um trabalho prático dos alunos de Engenharia Civil para a cadeira de Resistência dos Materiais I e que consistiu na montagem de uma ponte constituída por esparguete e cola térmica a uni-lo. O principal objectivo era construir uma ponte de esparguete com a máxima resistência possível (carga máxima suportada antes do colapso), de acordo com a quantidade de esparguete utilizado. A avaliação consistia na estética e na resistência da ponte, onde a resistência possuía um maior peso na avaliação.

A primeira fase para a elaboração da ponte de esparguete era definir uma estrutura plana longitudinal 2D, apresentando os cálculos em conformidade com o que foi leccionado nas aulas de modo a obter-se a estrutura com maior resistência possível. A segunda fase era ligar a estrutura final estudada a barras transversais, de modo a formarem uma estrutura 3D, ou seja, o produto final.

No entanto, para que a realização da ponte fosse bem-sucedida, havia um regulamento onde constavam algumas directivas a serem respeitadas: a carência de comprimento e/ou o excesso de esparguete na ponte não eram permitidos. Para que não houvesse um desacatamento às regras, a ponte tinha que ter no mínimo 60 cm de comprimento e não era permitido usarem-se mais do que 500 gramas de esparguete. Segundo os alunos, a montagem foi um processo demorado, visto que o esparguete é um material frágil, daí ser essencial um cuidado na preparação. O esparguete e a cola térmica foram materiais fornecidos pelo professor, de modo a facilitar o trabalho dos alunos.

Ao longo da montagem, foi prestada alguma atenção nas zonas mais fracas de modo a reforçar com mais esparguete. No entanto, com base nos cálculos iniciais, essa informação já estava disponibilizada, pois ao mesmo tempo que os alunos estudavam a ponte com melhor resistência, apercebiam-se dos sítios em que a estrutura poderia apresentar sinais de debilidade. Como a resistência tinha maior peso, muitos alunos focaram-se principalmente nesse parâmetro. E alguns alunos optaram pela estrutura em curva, pois consideraram como a mais resistente. A resistência da ponte foi testada colocando-se pesos de modo a exercer força sobre a mesma. Para obter o resultado da resistência da ponte, no final foi realizada uma equação.

Uma das pontes, com 250 gramas, aguentou 7500 gramas de carga, ou seja, aguentou cerca de 30 vezes mais o seu peso. Esta obra foi a que teve uma maior resistência face às outras pontes, pois foi uma das pontes mais leves (no mínimo 100 gramas mais leve do que as restantes) conseguindo, no entanto, suportar o maior peso.

Concluindo, a realização da ponte foi um trabalho bem-sucedido, com o empenho e dedicação por parte dos alunos de Engenharia Civil, tanto pela obtenção dos bons resultados como pelo gosto de tiveram em realizar este projecto.

Ricardo Ramos

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA