Em Português Escorreito

Há palavras que nos confundem pela proximidade gráfica existente entre elas. Diz-se que são “parónimas”. Ligeiramente diferentes, a sua semelhança provoca-nos indecisão na escrita. Contudo, se pensarmos um pouco, conseguimos distingui-las, arranjando truques para tal. Assim, aprendemos a diferenciar, entre outros, vocábulos “homófonos”, “homógrafos”, “sinónimos”, “antónimos” e “parónimos”. Estes não têm qualquer relação entre eles. Não se pronunciam da mesma maneira e não têm a mesma grafia. Isso sucede, por um lado, com “imigrante”/“emigrante” e, por outro, com “imergir”/“emergir”. Nestes casos, além de cada um ser antónimo do elemento do par, são ambos parónimos. Poderá haver quem os considere homófonos, mas não se articulam da mesma maneira devido à vogal inicial. Se nos lembrarmos da diferença entre “i” e “e” para este dois exemplos de paronímia, teremos a solução para evitar a confusão. Parece complicado, mas não o é, como as seguintes explicações o comprovam.

1. Os ………………… têm de renovar a autorização de permanência no país.

Preencher o espaço com a forma certa: emigrantes / imigrantes.

Solução: Os imigrantes têm de renovar a autorização de permanência no país.

Explicação: Para diferenciar “emigrante” de “imigrante”, se confundirmos os termos, pensemos nas vogais iniciais e associemos “i” a “interior” e “e” a “exterior”. Se procedermos assim, saberemos que os “imigrantes” estão num país estrangeiro (no interior deste) porque são oriundos de outro. No que toca aos “emigrantes”, são aqueles que vão para o exterior, saindo do país de origem. Portanto, diz-se que Portugal tem emigrantes (os que vão para o exterior, sendo portugueses) e imigrantes, isto é, os estrangeiros que vivem no (dentro de, no interior de) país e precisam de autorização de permanência para, aqui, residirem. Uns e outros são migrantes, assumindo a condição de emigrante e imigrante consoante o país onde estejam.

2. Vieram à superfície todos os destroços do avião, ………………… .

Preencher o espaço com a forma certa: imergindo / emergindo.

Solução: Vieram à superfície todos os destroços do avião, emergindo.

Explicação: A associação de “i” com “interior” e de “e” com “exterior” também auxilia na distinção entre “imergir” e “emergir”. Enquanto o primeiro verbo (com “i”) indica “no interior da água”, o segundo (com “e”) revela o contrário. Este indicará algo que esteja “à superfície da água” (no “exterior”), tornando-se visível de fora. Assim sendo, quando destroços vêm à tona, à superfície, dizemos que “emergiram”. Se ficassem no interior, diríamos que teriam “imergido”, afundando-se. Então, “imergir” indica o movimento de fora para dentro (para o interior) e “emergir” o inverso, de dentro para fora (para o exterior).

Helena Rebelo
Professora da UMa

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA