Em Português Escorreito

Os jornais são uma fonte de informação preciosa e, em termos linguísticos, são-no incontestavelmente. Os regionais têm, até, um duplo interesse para o estudo da linguagem. Sob a pressão do tempo, muitos jornalistas tendem a escrever conforme falam e o leitor mais atento vai observando a vitalidade de particularidades dialectais nos textos que vai lendo. Além deste aspecto que qualquer linguista aprecia, há também que considerar as gralhas, os lapsos, as falhas de todo o género. Aquando da festa do Senhor dos Milagres, um jornal regional madeirense trazia um suplemento dedicado à cidade de Machico com páginas sobre a história, a actualidade, a cultura, os costumes, etc. Num artigo dedicado à alimentação típica, apareceu “gaiado cozido e barata”. Evidentemente que “barata” resulta de uma gralha, tendo havido a troca de “t” (batata) por “r” (barata). É incrível a associação, já que as baratas são inúmeras no arquipélago, mas não se apreciam no prato. Decerto, quem redigiu o texto distingue “batata” e “semilha” e, ao contornar o regionalismo, surgiu a gralha. Esperemos que, noutras ocasiões, o acaso seja mais feliz e não transforme “batatas” em “baratas”. Poderá haver quem não queira provar a iguaria. Estas falhas são frequentes na escrita e ninguém está livre delas. Sucederá, sobretudo, com termos que se usam pouco, como “benesse”, ou com outros que se empregam muito, mas que se escrevem de maneira diferente, segundo o que significam, como “Benvinda” e “bem-vinda”. Cada signo linguístico tem um significante e um significado com valor próprio. Dificilmente se aceitam trocas.

1.
É um felizardo, pelas inúmeras ……………. recebidas.

Preencher o espaço com a forma certa: beneces / beneses / benesses / beneçes

Solução: É um felizardo, pelas inúmeras benesses recebidas.

Explicação: O substantivo “benesse” (de dois géneros) vem do Latim e formou-se a partir de “bene” (bem) e “esse”(ser). Em suma, significa “ser bem” e justifica-se a consoante dupla (“ss”). Terá, na origem, um cariz religioso com o sentido de “pagamentos que, por direito, se devem aos eclesiásticos”. Por extensão de sentido, passou a significar “presente, dádiva”. Hoje, “benesse” equivale, sobretudo, a “favorecimento”.

2.
Ela é sempre …………………..!

Preencher o espaço com a forma certa: benvinda / ben-vinda / bem vinda / bem-vinda

Solução: Ela é sempre bem-vinda!

Explicação: O adjectivo (ou interjeição) “bem-vindo” é formado a partir de “bem” e “vir” no gerúndio. Tem o sentido geral de “ser bem acolhido” e deu origem a um nome próprio, normalmente no feminino: “Benvinda”. Por tradição, este escreve-se aglutinado e o “m” passou a “n” antes de “v”. Ora, a aglutinação não se aplicou ao adjectivo (ou à interjeição), constituído por justaposição e com hífen. Contudo, há quem confunda as duas grafias.

Helena Rebelo
Professora da UMa

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA