Promoção da saúde e bem-estar no local de trabalho

As alterações cada vez maiores e mais rápidas da sociedade atual, a todos os níveis, especificamente ao das toxicodependências, implicam uma necessidade crescente de explorar um novo campo de intervenção no âmbito da prevenção dos consumos das substâncias psicoativas, recorrendo à estratégia de prevenção em meio laboral, como um dos espaços privilegiados para a promoção da saúde e bem-estar.

O consumo de substâncias psicoactivas em meio laboral não é só um problema do trabalhador consumidor, tem também implicações nos seus colegas e na empresa podendo, por vezes, este problema alargar-se à sociedade em geral (Organização Internacional do Trabalho, 2008).

Ao consumo de substâncias psicoativas estão associadas algumas consequências negativas, nomeadamente, os trabalhadores com consumos regulares apresentam maior incidência de acidentes de trabalho do que os não consumidores. O absentismo laboral, a falta de pontualidade, a pressão dos colegas (conflitos, queixas, violência, etc), custos de substituição, custo com indemnizações aos trabalhadores e à produção (tempo de reação, capacidade motora, estado de espírito entre outros), são neste contexto, condicionantes ligadas ao consumo de substâncias lícitas e ilícitas.

Face à problemática do consumo de substâncias psicoativas no local de trabalho, surge a necessidade de criar instrumentos/estratégias de prevenção em meio laboral, como resposta social à promoção do bem-estar e qualidade de vida do trabalhador. Deste modo, cabe aos serviços locais desta área a responsabilidade de potenciar projetos e estabelecer parcerias, nomeadamente, o Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Socias, através do Serviço de Prevenção da Toxicodependência.

Para as entidades empregadoras, um projeto de prevenção do consumo de substâncias psicoativas em meio laboral pode ser benéfico, na medida em que diminui o absentismo e os atrasos, reduz a sinistralidade de trabalho, limita o número de processos disciplinares e despedimentos, promove a qualidade do desempenho do trabalhador, melhora as relações interpessoais e o ambiente de trabalho, aumenta a motivação e produtividade.

Há necessidade de dotar a população de informação e de competências individuais e sociais, relativamente aos consumos de substâncias psicoativas, de modo a consciencializar para as consequências nefastas, destes comportamentos, visto ser na idade adulta que o trabalho assume um papel primordial na vida do indivíduo, podendo condicionar todos os aspetos da sua vida desde os relacionais, aos emocionais passando pela saúde.

É urgente proporcionar ambientes geradores de mudanças. Neste sentido, lançamos o desafio, a todos os empregados/empregadores para que criem condições impulsionadoras de promoção da saúde e bem-estar no local de trabalho.

Mónica Melim
Psicóloga

Liliana Correia
Técnica Superior de Educação Social

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA