Em Português Escorreito

CERTO VERSUS ERRADO
Falar e escrever correspondem a duas actividades bem distintas do processo comunicativo. Em certos casos, a escrita fixa – cristaliza – a produção oral que é bastante instável por ser efémera. Em muitos, a rapidez da fala e as pronúncias originam alguma variação, apresentando um leque de possibilidades orais considerável. Para quem não domina razoavelmente o registo escrito da língua que fala, a situação complica-se e condiciona a escrita individual. Nela, vão aparecendo os chamados “erros ortográficos”, que não passam de “erros gráficos”.

1. Não há criança que não goste de uma …………………

gluseima / gloseima / guloseima / goluseima

SOLUÇÃO
Não há criança que não goste de uma guloseima.

EXPLICAÇÃO
O termo “guloseima”, substantivo feminino, é formado a partir do adjectivo (também pode ser substantivo) “guloso” e do sufixo “-eima”. O adjectivo vem do vocábulo latino “gula,ae”, entendido como sinónimo de “goela” (segundo o dicionário Houaiss: “*gulella” diminutivo de “gula,ae” – esófago, garganta). São, portanto, da mesma família de “gula”, “guloso”, “gulosar” (saborear “gulodices” ou “guloseimas”), “gulosinar” (“gulosar”), “gulodice” e “guloseima”. Este último substantivo é dado como sinónimo de “gulodice” e “gulosina”. Destes três, “gulodice” será o mais comum e “gulosina” o menos, correspondendo “guloseima” a um emprego intermédio. Apesar de se considerarem sinónimos, “guloseima” usar-se-á mais para os doces (poderão ser outras iguarias) em si, enquanto “gulodice” se emprega, sobretudo, para referir a “propensão para os doces”. Como os restantes elementos da mesma família: “guloseima” é grafado com “u” na primeira sílaba e “o” na segunda, embora esta vogal se articule como “u”. Esta proximidade sonora pode originar, na fala, a queda da primeira vogal, com a formação do grupo consonântico “gl”, e estas diferenças entre o registo oral e o escrito causam, por vezes, alguma confusão que se reencontra na escrita.

2. A ………………… entre ambos é evidente: um é enorme e o outro minúsculo.

disproporção / desproporção / despruporção /
dispruporção

SOLUÇÃO
A desproporção entre ambos é evidente: um é enorme e o outro minúsculo.

EXPLICAÇÃO
Procurar reagrupar os vocábulos e associá-los por “famílias”, isto é, conjuntos que têm a mesma origem, pode auxiliar a resolver muitas dúvidas ao escrever, já que os vocábulos mantêm, com frequência, semelhanças gráficas. É o caso de “desproporção” que se constrói através do prefixo “des-” e o substantivo “proporção”. Embora se tenha perdido esta ideia de construção, para considerar o termo no seu todo, “proporção” também resulta do processo de prefixação com o elemento “pro” aglutinado a “porção”. Assim, “desproporção” e “proporção” estão ambos relacionados com o sentido de “medida”, “quantidade”, “parte”, expressa em “porção”. Considerando ambos, “desproporção” é a negação (expressa pelo prefixo “des-“) de “proporção” que possui, entre outras acepções, a de “equilíbrio entre duas partes”. Ao dizer “desproporção”, podemos ter alguma dificuldade com a sílaba inicial, articulando-a como “dis-” em vez de “des-”. Tendemos a distinguir as duas sílabas consecutivas muito próximas a nível sonoro (“pro” e “por”), grafando uma delas com a letra “u”. Se erramos na ortografia de “desproporção” é porque não estamos habituados a escrever este termo e nos deixamos influenciar pelo nosso modo de falar.

Helena Rebelo
Línguista e Docente da UMa

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA