Uma GRADUAÇÃO feita com a dedicação e o empenho dos voluntários

Uma GRADUAÇÃO feita com a dedicação e o empenho dos voluntários

Para realização da GRADUAÇÃO, que levou milhares de pessoas ao Largo do Colégio dos Jesuítas, a organização contou com 40 voluntários. Estudantes e antigos estudantes, dedicaram muitas horas para que centenas de finalistas pudessem celebrar o final do curso.
Sara Gil e Maria Beatriz Ricardo, estudantes de Medicina da UMa, são voluntárias na ACADÉMICA DA MADEIRA, envolvidas na organização da GRADUAÇÃO de 2024.

Eram 5:35 da manhã de sábado, 29 de junho de 2024. Rodrigo Gonçalves, da ACADÉMICA DA MADEIRA, começava a trocar mensagens com alguns colegas da organização da GRADUAÇÃO. A noite ainda dominava o Funchal, mas as dezenas de voluntários da ACADÉMICA DA MADEIRA, que iriam cuidar do evento que acabaria por juntar mais de 4 mil pessoas no Largo do Colégio dos Jesuítas do Funchal, começavam a preparar-se para rumar à Baixa da cidade. Todo o recinto do evento foi montado até às 9:00 da manhã. Para a cerimónia, criaram-se dois bares de atendimento, publicidade e material de apoio ao evento transportados e montados em vários pontos, sem desconsiderar as centenas de cadeiras colocadas no recinto. Até às 9:30, quando o trânsito foi encerrado nas áreas circundantes ao Largo, a organização tinha tudo pronto.

Os preparativos começaram em julho de 2023, quando a ACADÉMICA DA MADEIRA propôs, à Diocese do Funchal, que o dia 29 de junho de 2024 fosse escolhido para a Missa da Bênção das Fitas. A organização entendeu que os dois eventos deveriam acontecer no mesmo dia, facilitando a presença dos familiares dos finalistas, alguns ausentes da região. Depois da escolha da data, Rodrigo Gonçalves explicou que começou um completo trabalho envolvendo dezenas de parceiros externos. O dirigente estudantil indicou que a organização assegurou muitos aspetos não visíveis aos participantes, mas que eram fundamentais para a segurança e a qualidade do evento: “a ACADÉMICA DA MADEIRA trata dos seguros aos participantes, do licenciamento do evento, do policiamento para encerramento das estradas e da montagem de mais de mil cadeiras para a assistência”.

Henrique Luís e Rodrigo Gonçalves estudantes na UMa e voluntários na ACADÉMICA DA MADEIRA foram os responsáveis pela organização da GRADUAÇÃO de 2024

Enquanto os primeiros finalistas chegavam às 9:00 ao recinto, a equipa da ACADÉMICA DA MADEIRA havia começado o trabalho pouco antes das 7:00 da manhã. No Colégio dos Jesuítas do Funchal estavam armazenadas centenas de cadeiras, algumas delas cedidas por parceiros do evento, para serem montadas na placa central da Praça do Município. A única estrutura que fora montada na véspera, adiantou Rodrigo Gonçalves, foi o palco. Ainda se verificaram imprevistos a poucas horas do evento, como as escadas montadas que representavam um risco para os finalistas com saltos altos. O organizador explicou que foram colocadas escadas sem orifícios, que pudessem prender os saltos, faltando uma hora para o evento. “Temos que estar preparados para erros que, mesmo não sendo provocados pela organização, têm que ser resolvidos por nós”, reforçou o estudante de Educação Física e Desporto.

Ismael Da Gama, da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, referiu ter sido “com orgulho que organizámos mais uma cerimónia que, de forma simbólica, marca o fim do vosso percurso académico. Uma cerimónia plural, que abraça os estudantes de TODAS as faculdades e escolas superiores da nossa Universidade, sem excepção.” Poucos poderão recordar, mas a GRADUAÇÃO foi criada pela ACADÉMICA DA MADEIRA há alguns anos, pois não existia um evento que permitisse que todos os estudantes da Universidade da Madeira celebrassem o final do seu curso. Antes, o Corte das Fitas era o evento que reunia os finalistas, mas apenas os estudantes que tivessem participado da Praxe Académica.

Octávio Jesus Francisco Fernandes e Guilherme Pedro estudantes de Engenharia Informática na UMa e voluntários na ACADÉMICA DA MADEIRA estiveram envolvidos na organização da GRADUAÇÃO de 2024

Tiago Alves integrou a equipa de voluntários que tinha o difícil trabalho de acompanhar os finalistas e convidados nas cadeiras do Largo do Colégio dos Jesuítas. O jovem voluntário mostrou-se satisfeito, destacando que foi “um evento marcante e importante para mais de 400 estudantes da Universidade da Madeira”. Além da missão associativa, Tiago Alves valoriza a experiência associativa e organizacional, referindo que “foi uma oportunidade para os voluntários que fizeram parte da organização do evento desenvolverem e trabalharem o espírito de equipa e camaradagem”.

Este ano, a organização reforçou as cadeiras, permitindo que mais de mil pessoas pudessem estar sentadas. Rodrigo Gonçalves destacou ter sido uma das partes mais difíceis da execução do evento. O responsável pela organização referiu “que algumas pessoas pretendem que os finalistas tenham lugares reservados, mas a organização abandonou essa prática há alguns anos, quando notou que muitos finalistas reclamavam não poder estar com os familiares e, desse forma, deixavam vários lugares por preencher”. Segundo o estudante, “para ultrapassar o problema, para os 427 finalistas, mais do dobro dos lugares necessários foram colocados no recinto”.

Entre os vários pontos de trabalho dos voluntários, as tarefas de apresentação também foram asseguradas pela ACADÉMICA DA MADEIRA. Maria Beatriz Ricardo, Pedro Freitas e Carolina Silva foram os rostos do evento. Foi “desafiante e gratificante” nas palavras da estudante de Medicina, Maria Beatriz Ricardo, que destacou o seu orgulho “por ter contribuído para proporcionar aqueles momentos tão importantes na vida dos finalistas e das suas famílias e amigos”. Além da experiência que proporcionou, também ressaltou a importância que a preparação do evento envolveu, obrigando a “sair da zona de conforto, uma vez que nunca tinha falado para um publico tão grande”.

Os FATUM, o grupo de fados da ACADÉMICA DA MADEIRA, juntou-se ao evento para interpretar dois temas conhecidos do público. Para que a atuação fosse possível, além dos habituais ensaios, os músicos destacados para a GRADUAÇÃO fizeram o teste de som antes das 9:00. Toda a logística com o som, os microfones e as mesas de controlo estava a ser montada pelas 8:00.

Para 2025, a ACADÉMICA DA MADEIRA adianta que submeteu a proposta de realização da GRADUAÇÃO para o final de junho, após o período de exames do 2.º semestre letivo.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografias de Henrique Santos.