Aplicação ACADÉMICA venceu o prémio nacional de Boas Práticas

A ACADÉMICA DA MADEIRA venceu, com a sua aplicação móvel, o prémio Boas Práticas Associativismo Jovem do IPDJ pela 5.ª vez consecutiva. O Prémio distingue iniciativas que tenham sido apoiadas pelo IPDJ e desenvolvidas no ano anterior ao da sua atribuição.

Pelo 5.º ano consecutivo, a ACADÉMICA DA MADEIRA foi distinguida com esse prémio nacional, atribuído pelo Instituto Português do Desporto e Juventude. Ricardo Freitas Bonifácio, Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, que submeteu a candidatura da aplicação em novembro, destacou a participação de dezenas de voluntários no desenvolvimento e na operacionalização da ferramenta.

O líder estudantil partilhou a “distinção com todos os nossos colegas, que integram todas as nossas atividades, projetos e programas”. Vários colaboradores estão envolvidos no sucesso da aplicação, apoiando, “diretamente e indiretamente, o sucesso da aplicação que, anualmente, tem ganhado funcionalidades e atraído milhares de utilizadores”.

“Em Novembro, submetemos a nossa candidatura para concorrer, na região de Lisboa e Vale do Tejo, com dezenas de associações dessa zona” – Ricardo Freitas Bonifácio

Como destacado por Ricardo Freitas Bonifácio, a “Universidade da Madeira não possui uma aplicação móvel, mas com o nosso espírito empreendedor, a ACADÉMICA DA MADEIRA conseguiu desenvolver e manter uma ferramenta fundamental para a vida dos estudantes”.

Dois novos programas de apoio a cientistas com burocracia reduzida

O ERC-Portugal de Estímulo à Captação de Financiamento Europeu e o Programa Restart, novos programas da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, foram anunciados no final de novembro. Ambos os programas foram desenvolvidos tendo em conta o Simplex na Ciência, definido pela Ministra como uma prioridade.

A ACADÉMICA DA MADEIRA informou que a aplicação foi “criada e desenvolvida por estudantes e antigos estudantes de informática que são voluntários”, sendo uma aplicação “que é gratuita, é um sistema pioneiro em Portugal”, “o primeiro a interligar sistemas digitais de uma associação estudantil com as da sua instituição de ensino”.

Entre as várias funcionalidades, os promotores destacam o acesso a “informação sobre o ensino superior e apoio social; acesso a horários, calendário escolar”, a consulta de “transportes públicos para os campus da Penteada e de São Roque” como “algumas das funcionalidades a que milhares de estudantes da Universidade da Madeira têm acesso”.

Carlos Diogo Pereira
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa.
Na imagem, Pedro Guilherme Andrade, responsável da Seção de Informática da ACADÉMICA DA MADEIRA.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS