Um raio-x ao novo ano letivo

Alex Faria, Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA, escreve, no seu artigo mensal no 'JM Madeira', sobre o novo ano letivo.

Setembro regressou com as habituais colocações através do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior. O número de perto de 50 mil estudantes colocados na primeira fase deste concurso foi ligeiramente inferior ao ano transato. Na Universidade da Madeira verificou-se uma tendência semelhante, com os 552 novos estudantes a representar uma taxa de colocação da ordem dos 81,3%, cerca de 4 pontos percentuais abaixo da de 2021.

Para este ano letivo, a UMa inovou no seu processo de matrículas para os estudantes colocados pelo CNA, adotando um sistema totalmente remoto. O processo de inscrição foi aberto no dia 12 de setembro e centenas de estudantes inscreveram-se através do portal InfoAlunos. Este novo método, complementado com diversas instruções de apoio com imagens e vídeos, e com o apoio do Gabinete de Apoio ao Estudante, evitou as longas e morosas filas de espera e parece ter facilitado todo este processo de inscrição para os novos estudantes da UMa.

A UMa inovou adotando um sistema totalmente remoto.

Mas a entrada no Ensino Superior traz várias questões cujas respostas são, muitas vezes, difíceis de encontrar, por mais simples que sejam. O programa Embaixadores, que já vai na 3.ª edição, permite guiar os novos estudantes da UMa nestas primeiras semanas no Ensino Superior. Os estudantes embaixadores têm acompanhado e orientado os novos alunos nesta nova realidade, dando-lhes informações diversas sobre a Universidade, a Ação Social e todos os seus serviços. Estão disponíveis para o esclarecimento de dúvidas, para dar a conhecer as instalações do Campus, para dar uma ou outra recomendação sobre o curso, sobre os diferentes meios de apoio disponibilizados pela ACADÉMICA DA MADEIRA, sejam os programas de apoio social, as valências da aplicação móvel, as notícias lançadas nas redes sociais, ou o serviço autónomo YOU PRINT de fotocópias, cópias e impressões.

Entretanto, os apoios da Ação Social já se encontram disponibilizados aos estudantes através das bolsas de estudo. Como habitualmente, as candidaturas às bolsas atribuídas pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) abriram no dia 25 de junho. Contudo, ainda não existem dados oficiais sobre os resultados provisórios ou finais das candidaturas submetidas. Apesar disso, através dos dados disponibilizados pela DGES, até 16 de setembro, tinham sido submetidos 66 968 pedidos, quase mais 10 mil do que no período homólogo de 2021, e ainda faltam os requerimentos da maioria dos novos estudantes. Poderá atingir um novo recorde, pesado não só nas naturais dificuldades de muitas famílias em assumir todas as despesas inerentes à frequência do Ensino Superior, agravadas pela inflação.)

Até 16 de setembro, tinham sido submetidos 66 968 pedidos de bolsa de estudo.

O alojamento dos estudantes deslocados é um setor crítico em todo o país, com os valores de arrendamento a aumentar de forma muito significativa. Segundo o relatório do dia 2 de setembro do Observatório de Alojamento Estudantil, inserido no Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, a cidade do Funchal verificou a segunda maior variação dos preços de habitação para os estudantes (22,1%), com o 4.º preço médio mais alto do país (287€), depois de Lisboa, Porto e Setúbal. É claramente essencial a construção da nova residência universitária na Quinta de São Roque e a renovação e reabilitação dos quartos existentes para os estudantes da UMa.

A todos os estudantes do Ensino Superior, e sobretudo aos recém-chegados, um bom ano letivo.

Alex Faria
Presidente da Direção da ACADÉMICA DA MADEIRA
Com fotografia de Priscilla Du Preez.
Artigo de opinião originalmente publicado no JM Madeira a 22 de setembro de 2022.

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA