Uma experiência argentina

Concluído o mestrado em Bioquímica Aplicada, continuei a minha actividade como investigador no Centro de Química da Madeira (CQM) ao abrigo do projecto PREMIUM* – Preserving Bacteria with Oligosaccharides and Eco-friendly Processes. Este é um programa internacional onde participam instituições de ensino superior e empresas do sector industrial e tem como objectivo a produção de probióticos (bactérias) estabilizados com açúcares.

Assim, em meados do ano passado fui convidado pela Professora Paula Castilho (docente da UMa) a integrar este projecto e a fazer um secondment (um estágio) em La Plata, na Argentina, mais propriamente, no Centro de Investigacíon y Desarollo en Criotecnologia de Alimentos (CIDCA), durante três meses, sob a supervisão da Doutora Andrea Gómez-Zavaglia. Tinha, então, como objectivos o estudo de novas técnicas e metodologias para a extracção de açúcares a partir de fontes vegetais e para a caracterização e estudo destes compostos – estas são as tarefas atribuídas ao grupo do CQM no âmbito do PREMIUM.

Foi uma experiência inesquecível, mas também desafiante. Já tinha viajado para o estrangeiro, mas nunca sozinho, nunca em trabalho, nunca por tanto tempo. Tinha muitas dúvidas e receios – trata-se, então, de um país no outro lado do mundo, com uma língua diferente, uma moeda diferente, estações do ano diferentes, enfim, tudo diferente. Mesmo assim achei que seria uma oportunidade para provar a mim próprio que seria capaz de ter sucesso fora do conforto do meu meio familiar e do meio académico que já conhecia e pertencia há sete anos. Nunca me passou pela cabeça recusar.

Após dois dias de viagem, cheguei à cidade de La Plata. Até parece que aquelas viagens de avião foram mais longas do que a minha estadia no país – passou tudo tão rápido pois adaptei-me facilmente. A cidade era agradável e com uma organização urbana muito acessível, com uma planta desenhada como uma grelha, com ruas paralelas e diagonais a ligá-las a todas, convergindo em praças, sendo por isso conhecida como a “cidade das diagonais”. As pessoas receberam-me muito bem, o trabalho correu como esperado, os objectivos foram cumpridos, e nem a língua pareceu um problema depois de lá estar. Tive a oportunidade de conhecer muitas pessoas e de várias nacionalidades: os investigadores com quem trabalhava, estudantes em programas de intercâmbio e outros colegas do projecto PREMIUM, que se tinham deslocado para a Argentina com o mesmo propósito que eu. Este contacto foi importante pois ajudou-me a sentir-me como em casa e tinha com quem partilhar as minhas experiências e momentos de lazer, por exemplo quando nos deslocávamos a conhecer a cidade de Buenos Aires, capital do país.

Pela altura do Natal já estava de volta à Madeira, onde recordava com carinho todo o tempo passado na Argentina. Foi uma grande aventura que ficará para sempre na minha memória e servirá de referência para mim no futuro. Estou grato a todos os que me proporcionaram esta oportunidade e a todos que me acolheram tão bem. Se fosse hoje, faria tudo de novo!

*Projecto com referência: PREMIUM Horizon 2020 – MSCA – RISE – 2017, n.º 777657.

Gonçalo Martins
Alumnus

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA