O que é ser bem-sucedido para você?

Vou começar esse texto com uma pergunta clichê, mas, por favor, não me responda com uma resposta decorada daquelas que estampam a traseira de caminhão, tá?! O que é ser bem-sucedido para você?

Por que eu comecei esse texto com essa pergunta e porquê eu gostaria que você investisse tempo na sua resposta? Porque tudo que eu tenho para compartilhar com você veio dessa simples pergunta.

Foi me perguntando isso, diariamente, que senti a necessidade de sair da minha zona de conforto e procurar a minha própria definição de sucesso, com os meus próprios medidores.

Me permiti olhar para fora da caixa. Me permiti confrontar certos padrões e estereótipos que a sociedade cria para evitar que a gente encontre o nosso propósito que, na grande maioria das vezes, vai no sentido contrário do capitalismo desenfreado, do egoísmo e do orgulho.

Infelizmente essa é a realidade de grande parte da população mundial, a maioria das pessoas não quer despertar a consciência porque dá muito trabalho olhar para dentro e entender suas reais necessidades, é muito mais fácil olhar para fora e ver o que tá faltando, né? As pessoas não querem mudar o que está bom, mas, mal sabem elas que poderia estar excelente.

Mas, há 5 anos eu despertei! Eu saí do Rio de Janeiro e fui fazer um intercâmbio de 10 meses na Universidade da Madeira. Cheguei sem amigos, mas cheia de objetivos e o principal deles era: me permitir viver intensamente, conhecer outras culturas e me deixar moldar pelos aprendizados que fazia durante a minha jornada.

Eu chamo de jornada porque não me contentei em ficar apenas na Madeira, apesar de ter aprendido muito, nos poucos meses que morei lá. Eu, que já estava fora da minha zona de conforto, resolvi me arremessar ainda mais para fora e testar meus próprios limites. Que tal viajar 33 dias sozinha pela Europa, no melhor estilo mochileira?

Planejei minha viagem toda sozinha! Foram 7 países e mais de 18 cidades absorvendo o máximo que podia aprender com as pessoas que passavam pelo meu caminho. Dividi quarto com mais de 15 pessoas, andei a pé por toda Madrid, fui parar na montanha mais alta da Polônia por engano, vi neve pela primeira vez, aprendi a tirar foto sozinha, aprendi a rir sozinha, aprendi a confiar mais nas pessoas, descobri que sou muito mais forte do que pensava, descobri que é possível fazer amigos tendo apenas o inglês básico e recebi muitos abraços de despedida. Mas, mais do que isso tudo, eu finalmente comecei a entender o que significava ser bem-sucedida para mim.

Entendi que ser bem-sucedida não tinha nada a ver com o valor da minha conta no banco, com a marca do meu carro ou se eu tenho casa própria. Ser bem-sucedida, para mim, era proporcional ao número de experiências que eu vivia e proporcional aos hábitos que eu criava que iam de encontro com as coisas que eu gostava de fazer.

A boa notícia? É que você pode sair da sua caixa quando você quiser, basta apenas dar um impulso para enxergar além do horizonte quadrado… Afinal, a Terra é redonda, não é mesmo?!

Maryana Teles
Alumni

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA