Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé!

Foi com este o lema que o Papa Bento XVI nos lançou o desafio de nos “fazermos ao largo”. A grande aventura foi as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), que tiveram lugar entre os dias 10 a 21 de Agosto, em Madrid. O DPES, nomeadamente alguns dos elementos do coro Universitário da Madeira, pôde estar presente neste que é o evento que junta de 2 em 2 anos, o maior número de jovens em todo o mundo. Foi o Beato João Paulo II que instituiu as Jornadas e é hoje um dos seus patronos.

Juntamo-nos aos restantes Jovens da Diocese, para viver esta experiência que nos tocou e transformou a todos. Partimos rumo a uma aventura que era nova para todos nós.

Tivemos a experiência de viver as pré–Jornadas em Segóvia, onde divididos por diversas comunidades fomos acolhidos pelas pessoas locais de uma maneira incrível. Parecia que há muito nos esperavam. Até as portas das suas casas nos abriram. Foi ali que fizemos esta nossa preparação para a grande Jornada de Madrid, com diversas actividades muito enriquecedoras, entre elas uma vigília a Maria lindíssima.

Depois chegaram as verdadeiras jornadas… Pelas ruas de Madrid a palavras eram apenas duas: BENTO XVI! Jovens dos 5 continentes… europeus, americanos, africanos, chineses… juntos pela mesma causa. Incrível como “Aquele” que morreu por nós na cruz, há dois mil anos, ainda hoje move milhares e milhares de Jovens… O que nos faz realmente pensar…que ou estamos “maluquinhos” por nos juntarmos ali todos, ou ELE vive mesmo Hoje, em cada um de nós e dá sentido às nossas vidas.

O primeiro contacto com o Santo Padre, aquando da sua chegada a Madrid, embora ainda a alguns metros, foi um momento emocionante para todos nós, e que certo não nos sairá da memória. Sentir tanta gente a gritar a uma só voz “Benedito” foi arrepiante, e quando passou por nós, a verdade é que fez a diferença. Algo marcou mesmo, aquele olhar sereno e tão apaziguador. E então nas suas palavras, quando falou e nos deu as boas-vindas em português, foi a alegria total. Tivemos também, no Madrid Arena, o encontro com todos os jovens portugueses presentes nestas jornadas e muitos dos Bispos portugueses, que foi sem dúvida fantástico. Sentimo-nos quase que em casa, tanta era a alegria e fé que se viveu, ali todos juntos, em língua portuguesa.

A grande vigília foi sem dúvida o momento alto destas Jornadas, no aeródromo de 4 vientos, em que, debaixo de uma forte chuva e vento, os quase 2 milhões de peregrinos não arredaram pé do local, isto tudo movidos pela fé e vontade de assistir e participar na vigília. Até o Santo Padre não conseguiu ficar indiferente a tamanha prova de fé e sacrifício.

Até que chegou a hora da despedida… a Eucaristia de Envio em que fomos convidados pelo Papa a voltarmos às nossas casas, aos nossos países e a levarmos esta alegria e Boa Nova a todos os que connosco convivem e vivem diariamente. Quem sabe não nos possamos encontrar, já em 2013, nas JMJ do Rio de Janeiro.

Voltámos todos a casa com uma certeza… estas JMJ não terminaram ali, muito pelo contrário… acabaram de começar! A Jornada continua hoje e sempre, nas nossas casas, na nossa comunidade, aqui na UMa. Já diria o poeta…

“Pelo sonho é que vamos, comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos, pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos, basta a esperança naquilo
Que talvez não teremos. Basta que a alma demos,
Com a mesma alegria ao que desconhecemos
E ao que é do dia-a-dia.
Chegamos? Não chegamos?
E partimos. Vamos. Somos.”

Sebastião da Gama

João Francisco (Kiko)
Membro do Coro Universitário da Madeira

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA