Saúde Escolas: projeto de monitorização em saúde

A apresentação pública do projeto “Saúde Escolas: Projeto de Monitorização em Saúde [SEE_App]” aconteceu no dia 18 de maio de 2022, no Colégio dos Jesuítas, na cidade do Funchal. Este projeto surge de uma parceira entre a SH SeeHealth, Lda. a Universidade da Madeira (UMa) e o Instituto de Tecnologias Interativas/ LARSyS.

Resumo do Projeto

Motivação: A opção por estilos de vida mais saudáveis em crianças e adolescente em idade escolar é uma preocupação dos pais e de toda comunidade escolar uma vez que suporta uma transição sustentável e um desenvolvimento próspero para idade adulta.

Numa era digital, os sensores inteligentes abriram as portas para uma avaliação mais detalhada de muitos indicadores de saúde, que avaliados e comunicados em tempo real, poderão ter um impacto positivo na saúde individual e coletiva de uma sociedade.

Desafio: Atualmente, a saúde digital tem sido vista como uma prioridade estratégica emergente dos serviços de saúde. A COVID-19 acelerou o uso de tecnologias digitais de saúde para tornar os sistemas e serviços de saúde mais eficazes. Outras “flagships” são também ambicionadas, incluindo perceções comportamentais, culturais e saúde mental em crianças e adolescente em idade escolar.

Objetivos: Investigar, desenvolver e implementar uma aplicação móvel em saúde apropriada ao contexto da comunidade educativa da RAM. Este aplicativo móvel pretende suportar a adoção de estilos de vida mais saudáveis, numa lógica de educação para a saúde em contexto escolar, mas também integrar outras áreas relacionadas com a vigilância epidemiológica, como é o exemplo do combate à propagação da COVID-19. Para cumprir com este segundo objetivo, serão instaladas Câmaras com sensores capazes de fazer reconhecimento facial e medir a temperatura corporal à entrada da escola. Esta informação será comunicada na aplicação.

Resultados esperados: Fornecer uma aplicação segura às crianças e adolescente em idade escolar com 2 áreas distintas: (1) espaço de comunicação com orientações específicas sobre opções por estilos de vida mais saudáveis; (2) implementação de um sistema de vigilância epidemiológica baseado na instalação de câmaras termográficas capazes reconhecer os alunos e medir a temperatura corporal à entrada das escolas. As escolas selecionadas para esta experiência piloto foram: (1) Escola Básica 2.º e 3.º Ciclos Dr. Alfredo Ferreira Nóbrega Júnior – Camacha; (2) Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos dos Louros, (3) Escola Básica dos 2.º e 3.º Dr. Eduardo Brazão de Castro e (4) Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos do Estreito de Câmara de Lobos.

Universidade da Madeira

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA