POETRY SLAM leva mais de cem espetadores para ouvir poesia no Colégio dos Jesuítas do Funchal

Katharina Bacher, voluntária da ACADÉMICA DA MADEIRA e oriunda da Áustria, propôs, em 2023, à organização de um POETRY SLAM no Colégio dos Jesuítas do Funchal. Na noite de sexta-feira, 19 de janeiro, mais de cem pessoas encheram a sala Pe. Leão Henriques, no Colégio dos Jesuítas do Funchal.
O primeiro Poetry Slam na Madeira aconteceu no Colégio dos Jesuítas do Funchal, numa organização da ACADÉMICA DA MADEIRA, sob proposta da sua voluntária austríaca Katharina Bacher. O evento foi promovido a 19 de janeiro de 2024, contando com mais de cem espectadores e uma dezena de inscritos.

No início de janeiro, Katharina Bacher afirmava ter a “certeza de que existem ótimos escritores na ilha e que muitas pessoas escrevem poemas ou outros tipos de textos e os mantêm ocultos”. A jovem austríaca tinha razão porque a sala Pe. Leão Henriques, no Colégio dos Jesuítas do Funchal, ficou até com espetadores de pé para assistirem ao primeiro POETRY SLAM na Madeira.

Na primeira rodada, dez participantes subiram ao palco para recitar os seus poemas. A plateia teve a oportunidade de ouvir os poemas em Português, Inglês, Espanhol e Alemão, com tradução em simultâneo através de uma projeção. Depois de cada performance, um conjunto de jurados, aleatórios na audiência, atribuiu notas, de 1 a 5, que foram somadas para determinar as pontuações para o apuramento dos finalistas.

A voluntária austríaca Katharina Bacher da ACADÉMICA DA MADEIRA foi a promotora do primeiro Poetry Slam na Madeira O evento aconteceu a 19 de janeiro de 2024

Na segunda rodada, um grupo de três finalistas foi selecionado. Uma jovem peruana foi a vencedora do POETRY SLAM Madeira, recebendo os aplausos da assistência e um prémio da organização.

Segundo Katharina Bacher, satisfeita com a forte participação no evento, “parece que éramos amigos numa sala de estar, partilhando as nossas emoções e opiniões mais profundas, tomando uma bebida e celebrando o nosso interesse comum pela poesia”.

Para organizadora, foram declamados “muitos versos comoventes sobre: amor, juventude, natureza, mobilidade, oceano, avós, universo e vermes”, comprovando a diversidade de temas do encontro. Confessa que “foi muito íntimo – mesmo que sejamos estranhos um para o outro, com origens, raízes e línguas diferentes. Estávamos todos ao mesmo tempo, no mesmo lugar: compartilhando sentimentos – sendo humanos”.

Camila Dávila foi a vencedora do primeiro Poetry Slam na Madeira que aconteceu no Colégio dos Jesuítas do Funchal a 19 de janeiro de 2024

Roger Coghill, Joana Andrade, Gilberta Abreu, Teresa Faria, Jorge Ribeiro de Castro, Diva Castro (finalista), Maša Nobilo (finalista), Camila Dávila (vencedora), Dr. Jean e Urbano foram os participantes deste primeiro encontro.

Katharina Bacher integra o programa HERANÇA MADEIRENSE, pela organização parceria CUBIC, Cultur & Bildung im Context, sediada na Áustria, ao abrigo do programa Erasmus+ e no quadro do Corpo Europeu de Solidariedade. A a jovem do Tirol espera que outros eventos possam acontecer, dando continuidade ao POETRY SLAM estabelecido em janeiro.

Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Henrique Santos.

DESTAQUES