Os Maderilenos venceram o TROFÉU DO REITOR

A 16.ª edição do TROFÉU DO REITOR, o torneio inter-universitário de futsal da ACADÉMICA DA MADEIRA, voltou ao campo da Quinta de São Roque, reunindo dezenas de jogadores. Os Madrilenos, liderados por Bruno Cerqueira, sagraram-se campeões da prova.

O “Acorda, Pedrinho. Que hoje tem campeonato” são os versos da famosa música da banda de pop-rock brasileira Jovem Dionisio, que chegou ao número 1 da tabela “Billboard Portugal Songs”. Sábado, 26 de novembro, dezenas de jogadores de futsal foram até ao sintético do polidesportivo da Quinta de São Roque para um dia dedicado ao futsal, um dia de campeonato.

Artur Fernandes, com 10 golos, foi o melhor marcador.

Marcel Mendes, estreante na competição e jogador dos Kengas F. C., confessou que as “expectativas são muito altas”. E os resultados apurados provam que o seu prognóstico era legítimo e sério. Os Kengas F. C., equipa fundada em 2021, terminou o Troféu no 2.º lugar. O plantel da equipa foi composto por Ricardo Afonso Figueira Fernandes (capitão, 2 golos), Diogo Afonso Correia Câmara (7 golos), Pedro Andrade (3 golos), Marcel Mendes (2 golos), Guilherme Conceição (1 golo), Ricardo Bonifácio (2 golos) e Marco Francisco Rodrigues Fernandes.

Não esquecendo o fair-play do desporto, especialmente num torneiro que registou apenas um cartão amarelo e nenhum vermelho, a verdade é que o 2.º lugar é eclipsado pelos campeões da 16.ª edição do TROFÉU DO REITOR. Os Madrilenos, liderados por Bruno Cerqueira, sagraram-se vencedores da competição. O plantel foi composto por Artur Fernandes (10 golos), Alessandro Silva (4 golos), Keven Patrick da Silva Mendes (2 golos), Armando Lisboa (3 golos), Paulo Nascimento (2 golos), Bruno Dinarte Mendes Almada (1 golo).

Os Madrilenos sagraram-se campeões da competição.

Na 16.ª edição do TROFÉU DO REITOR não faltaram golos. A equipa de Bruno Cerqueira, com 5 golos sofridos tal como os Supremos F. C., teve a melhor defesa da competição, além do maior número de golos marcados. Registaram-se 23 golos dos Madrilenos, seguidos do Supremos F. C., com 22 golos, e do Kengas F. C., com 17 golos.

O Supremos F. C., com Tiago Marques como capitão (3 golos), ficou em 3.º lugar na competição. A equipa era composta por Henrique Ornelas (3 golos), Diogo Camacho, Bruno Agrela (2 golos), Nuno Pestana Marques (1 golo), João Pedro Reis Rodrigues (7 golos), José Rui Pereira Pestana e Miguel Reis (6 golos).

No 4.º lugar, a equipa mais emblemática da competição e com o maior historial: Aparthinaikos. Com o nome inspirado nos gregos do Panathinaikos, a equipa que espera chegar ao monte Olimpo era composta exclusivamente por estudantes de Medicina da Universidade da Madeira. O plantel dos futuros médicos é composto por João Rodrigo Jardim Costa (capitão), Francisco Freitas (1 golo), António Duarte Castanha (1 golo), Martim António Vieira Fernandes, Pedro Lopes, Guilherme Zacarias, Tiago Filipe Coelho da Silva, João Duarte e Afonso Elawar.

Manuel Gomes, jogador do Aparthinaikos, destacou o bom ambiente do Troféu, referindo que é “bom para conhecermos as pessoas dos outros cursos e haver mais integridade entre todos cursos. São estas iniciativas que fazem bem à universidade”.

A equipa mais emblemática da competição e com o maior historial: Aparthinaikos

Artur Fernandes (Madrilenos), com 10 golos, João Pedro Rodrigues (Supremos F. C.) e Diogo Afonso Câmara (Kengas F. C.), com 7 golos e Miguel Reis (Supremos F. C.), com 6 golos, foram os melhores marcadores do TROFÉU DO REITOR. A arbitragem esteve sob responsabilidade da ATARAM, a estrutura regional que reúne os técnicos dessa modalidade.

A competição teve o apoio da BRISA e da ATLÂNTIDA, além da Federação Académica do Desporto Universitário e da Associação da Madeira de Desporto para Todos.

Diogo Afonso Câmara
e Luís Eduardo Nicolau
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa