O “Tetris” da Vida Universitária: Vamos jogar?

Poderíamos usar como exemplo jogos mais recentes, como o Pokémon GO, mas optámos por repescar um mais antigo e intemporal, o Tetris – um jogo considerado complexo…

Os jogos acompanham a vida de diferentes formas. Neste artigo, servimo-nos de um deles para abordar a caminhada universitária.

Poderíamos usar como exemplo jogos mais recentes, como o Pokémon GO, mas optámos por repescar um mais antigo e intemporal, o Tetris – um jogo considerado complexo por requerer a utilização de múltiplos processos cognitivos como a concentração, a coordenação olhos-mãos, a memória, a resolução de problemas, tudo de forma muito rápida.

Certamente já o jogaste. Se não o fizeste, sugerimos uma espreitadela ao jogo para perceberes o porquê desta analogia.

A capacidade de flexibilização, organização e gestão de tempo são essenciais, permitindo ao jogador avançar para níveis mais desafiantes.

Este jogo, pelos seus requisitos e complexidade, bem se assemelha ao que é exigido na vida universitária. Tal como no jogo, o jogador/estudante precisa fazer uso da sua capacidade de organização, desde o início. Requer ainda respostas muito rápidas por parte deste. Não obstante, frustrações/desilusões e derrotas vividas é necessário continuar em jogo, se se quiser vencer, estando aberto para aprender com acertos e erros, ultrapassando as diferentes etapas, tornando-se cada vez mais proficiente na tarefa, desenvolvendo um sentido de mestria.

Neste processo, para ultrapassar os diferentes níveis deste “jogo”, o estudante universitário poderá beneficiar do pedir ajuda ou orientação (ex.: no Kit do Estudante Universitário, disponível em scp.uma.pt, poderá encontrar dicas ao nível da gestão da ansiedade, métodos de estudo etc…).

Um alerta: Tal como em qualquer outro jogo, a vida universitária requer equilíbrio entre a vida académica e as áreas afins (família, amigos, interesses), implicando um desenvolvimento contínuo que abarque competências técnicas e outras essenciais, como as soft skills (capacidade de comunicação, resolução de problemas, trabalho em equipa…).

Deste modo, a vida universitária quando bem “jogada” pode constituir uma oportunidade única de aprendizagens múltiplas.

Vontade de realização, dedicação, compromisso, iniciativa e persistência são, imprescindíveis desde o início, tal como o são o definir objetivos S.M.A.R.T (específicos, mensuráveis, alcançáveis, realistas e tangíveis), para que neste jogo se vão superando etapas.

Importa não esquecer que “enquanto pensares em trabalhar apenas o necessário para passar nas cadeiras, perdes uma oportunidade de conheceres novas coisas e mais sobre ti próprio” (adaptado de Rosário, Núnez & González-Pienda, 2006).

Por tudo isto, aproveita esta oportunidade – joga o “Tetris” da vida universitária, guiado por objetivos desafiantes, que te façam querer ir mais além e subir nos níveis de desenvolvimento pessoal e profissional, ganhando maior flexibilidade, destreza, capacidade de resolução de problemas… Fá-lo logo ao iniciar o “jogo”, gerindo as tarefas e os passos para alcançar os objetivos, não lutando contra o tempo e sendo, assim, o comandante deste teu processo de aprendizagem.

Serviço de Consulta Psicológica da UMa (SCP-UMa)

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA