Os FATUM voltam ao Colégio dos Jesuítas do Funchal

Os FATUM voltam ao Colégio dos Jesuítas do Funchal

Este artigo tem mais de 1 ano

Sexta-feira, 3 de março, às 21:00, o Colégio dos Jesuítas do Funchal receberá os FATUM, o grupo de fados da ACADÉMICA DA MADEIRA, num espetáculo que se espera ter, novamente, casa cheia. Como habitual, a entrada é gratuita.
Carlos Diogo Pereira, solista dos FATUM, em atuação na Blandy's Wine Lodge, em novembro de 2022.

O antigo colégio da Companhia de Jesus serve de palco aos saraus de fado com os FATUM, dando oportunidade aos membros do grupo de mostrar o trabalho que desenvolvem ao longo de cada mês. Desde 2014, estes concertos constituem uma importante oferta de cultura da ACADÉMICA DA MADEIRA para madeirenses e visitantes, difundindo tradição académica e a música portuguesa, em particular a Canção de Coimbra.

Existe, ainda, uma grande componente social ligada aos saraus, pois os donativos recolhidos servem para apoiar programas sociais e de voluntariado para estudantes, que a ACADÉMICA DA MADEIRA promove durante todo o ano.

Dançando com a Diferença

Este grupo de dança inclusiva, cuja direcção artística é de Henrique Amoedo, nasceu como sendo um projecto de nome Dançando com a Diferença. Desenvolvido, entre 2001 e 2007,na Direcção Regional

Os FATUM, no Spotify, registaram o extraordinário resultado de mais de 21 mil faixas ouvidas, com 3 mil utilizadores regulares, em 58 países.

Os FATUM atuam mensalmente no Colégio dos Jesuítas do Funchal.

“Saudades de Coimbra”, “Canção das Lágrimas”, “Coimbra menina e moça”, “Fado Hilário” , entre muitas outros, são poemas que evocam, invariavelmente, o amor por uma mulher, pela cidade de Coimbra e pela Academia, além da saudade própria da alma portuguesa. São temas que integraram o espetáculo dos FATUM que decorrerá esta sexta-feira, 3 de março, pelas 21.00, na Sala dos Arcos, outrora Capela de Nossa Senhora de Belém do Colégio de São João Evangelista da Companhia de Jesus, no Funchal.

Júlia Dória, Carlos Abreu e Diogo Freitas, na guitarra clássica, João Freitas e Gonçalo Direito, na guitarra de Coimbra, e Carlos Diogo Pereira, na voz, interpretarão fados, baladas e guitarradas de Coimbra.

A entrada do espetáculo de março, como habitual, acontece pela rua dos Ferreiros.

A preparação do evento envolve vários voluntários da ACADÉMICA DA MADEIRA em diversas tarefas, além do apoio prestado no dia do espetáculo. Entre esses voluntários, colaboram jovens oriundos dos programas de mobilidade Erasmus+, que divulgam o património da nossa região através do programa HERANÇA MADEIRENSE e que são parte da equipa de divulgação do evento nas semanas que antecedem a sua realização.

Tomás Santos de Pontes
ET AL.
Com fotografia de Pedro Pessoa.