Competências parentais e prevenção

A família continua a desempenhar um papel central no desenvolvimento e socialização de crianças e jovens. São elas que veiculam as normas, as regras e os valores que constituem a base para o crescimento saudável dos seus filhos.

O contexto familiar revela-se, então, determinante para o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes. De acordo com a qualidade das relações parentais, o meio familiar pode traduzir-se numa fonte positiva de adaptação ou, pelo contrário, revelar-se um espaço de conflito e desacordo.

Foi demonstrado que os pais/educadores, uma vez formados, podem desenvolver práticas consistentes e competências para uma eficaz gestão familiar. Por isso, cada vez mais as instituições locais, que desenvolvem programas de carácter preventivo, procuram incluí-los como agentes preventivos com capacidade para assumirem um papel mais participativo na formação integral dos seus filhos.

O objetivo das intervenções preventivas passa, então, pela modificação dos fatores de risco e de proteção e dos processos formativos da criança nas áreas cognitiva, social, emocional e física.

Assim, os programas de intervenção social, que incidem na redução dos comportamentos aditivos e das dependências, em que o envolvimento das famílias/educadores se pretende ativo, incluem os indicadores que realçam a importância do seu papel enquanto agentes preventivos, designadamente a coesão familiar, a supervisão parental, o clima afetivo, a cordialidade, a proximidade nas relações, as normas e os limites.

É neste sentido que o Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM, através da Unidade Operacional de Intervenção em Comportamentos Aditivos e Dependências, tem mantido uma parceria com o Instituto de Segurança Social da Madeira, IP-RAM, no âmbito do Programa de Intervenção Precoce e Competências Parentais e do Programa Competências na Parentalidade, com implementação a nível regional através do desenvolvimento de projetos locais em vários concelhos da Região Autónoma da Madeira.

O programa intervém junto de crianças em risco social e das suas famílias, com o objetivo de estabelecer comportamentos e atitudes promotoras do desenvolvimento global da criança e da família e do seu bem-estar pessoal e social. As famílias são previamente selecionadas a partir de uma grelha de sinalização e da Avaliação das Potencialidades e Necessidades da Família, aplicadas pelas técnicas das respetivas instituições locais das áreas geográficas abrangidas pelo programa.

No módulo de prevenção das dependências, estabelecemos como meta favorecer nas famílias o desenvolvimento de competências pessoais e sociais que permitam aos seus membros o crescimento saudável e a opção por uma vida sem drogas, através da sensibilização para a importância de prevenir as toxicodependências no contexto familiar.

Mónica Pereira
Socióloga

Unidade Operacional de Intervenção em Comportamentos Aditivos e Dependências – UCAD Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA