Março… mês da Floresta

“…um centímetro de solo pode levar milhares de anos para ser formado e este mesmo centímetro pode ser destruído em somente alguns minutos por uma degradação devido ao uso incorreto”.

A Direção Regional das Florestas e Conservação da Natureza tem no programa de atividades de sensibilização ambiental, uma campanha designada “Meses temáticos”, pretendendo desta forma promover, divulgar e sensibilizar para alguns temas e datas comemorativas relacionados com a Floresta de um modo generalizado e especificamente elementos/fatores que constituem ou influenciam este ecossistema ou ainda as profissões que se relacionam com a utilização multifuncional da Floresta.

Neste âmbito, o mês de março é por excelência o mês da celebração da Floresta pois existem diversas datas comemorativas que destacam a importância do ecossistema Florestal a nível internacional, nacional, regional e local. Destacam-se 8 de março o Dia do Corpo de Polícia Florestal da RAM (que, em 2015 comemora 102 anos de proteção na Madeira); 21 de março, o Dia Internacional das Florestas; e 22 de março, o Dia Mundial da Água.

Ao longo deste mês na RAM, com a dinamização de diversas atividades, de uma forma coordenada e articulada pretende-se dar relevância à Floresta, transmitindo à população em geral que é necessário um trabalho contínuo em prol da causa florestal, da proteção, da preservação e da conservação de todos os elementos que constituem uma Floresta desde o litoral até ao maciço montanhoso.

Ao longo dos anos, a DRFCN tem emitido, no âmbito das comemorações do Dia Internacional das Florestas, uma publicação em formato de cartaz destacando as diversas espécies indígenas e endémicas divulgando, assim, as espécies da Floresta Natural da Madeira, ou relacionando-as com os Anos Internacionais (como o da Biodiversidade em 2010, o das Florestas em 2011 e em 2015 o Ano Internacional dos Solos).

Assim, em 2015, será destacado o Solo, elemento da Floresta com um papel essencial para a existência de vida, em todo o Planeta Terra. A ONU declarou 2015 como o ano para celebrar a importância do solo como um componente sensível dos ecossistemas, a RAM junta-se a esta celebração realçando a importância para a preservação deste recurso que contribui para a qualidade de vida.

O Solo é um recurso natural finito e não renovável numa escala humana e ano após ano verifica-se a degradação dos recursos do solo. A degradação dos solos tem um impacto negativo em muitas das suas funções como na produção de alimentos e na prestação de serviços ecossistemicos como entre outros a desflorestação – resultando assim solos pobres e com uma alta vulnerabilidade à degradação.

Impõe-se a pergunta: O que fazer para travar esta degradação dos solos?

Tal como em outras situações é necessário primeiramente conhecer o Solo, a constituição, as propriedades, a estrutura, a diversidade, a origem, os fatores que influenciam a sua formação – um desafio para os próximos anos.

Direção Regional de Florestas e Conservação da Natureza

OS NOSSOS PARCEIROS
A NOSSA EQUIPA